As eleições de 2022 está batendo às portas e mais uma vez os sertanejos terão a oportunidade de escolher um governador para Pernambuco que criará por meio da articulação política oportunidades de desenvolvimento e geração de oportunidades em todas as áreas para os pernambucanos.

O Estado de Pernambuco está dividido administrativamente em três regiões, sendo a Zona da Mata, Agreste e a maior delas o Sertão. Entre essas regiões de desenvolvimento o destaque vai para a Zona da Mata onde concentra as cidades da Região Metropolitana do Recife. O Agreste apesar de ter cidades importantes como Garanhuns e Caruaru ainda figura como uma região ruralista com outros pequenos municípios sem muito destaque comercial. Já o Sertão que sofre com a escassez de chuva vem mostrando um grande potencial industrial e econômico com cidades que crescem a passos largos, a exemplo de Petrolina, Araripina e Serra Talhada. Atualmente entre as três regiões citadas, a que mais se sente colocada em segundo plano é o Sertão. Isto porque a política instalada no estado ainda vê as regiões próximas à capital como as mais importantes e por isso recebem mais investimentos. Devido a essa descentralização de ações mais concretas que poderiam gerar mais oportunidades para as cidades do Sertão, está surgindo um sentimento entre os sertanejos que na verdade seria uma ideia que poderia dar certo, eleger um governador que seja daqui do interior. Mas para isso, o Sertão sozinho não consegue esse feito, precisaria a união com outras regiões para que isso acontecesse. Pensando nisto está surgindo a possibilidade de união entre o Agreste e o Sertão para ver se juntos elegem um executivo que seja do interior e entenda quais são nossos desejos enquanto cidadãos dessa terra tão árida.

Caso seja confirmada essa união, a base oposicionista passa a ter dois nomes fortes para a disputa ao executivo estadual e o outro lado governista até o momento só tem um nome que para eles é forte e conseguiria renovar o modelo de gestão do PSB à frente da máquina pública de Pernambuco. Outra possibilidade de fortalecer ainda mais a oposição frente a busca de votos, é se o prefeito de Jaboatão dos Guararapes Anderson Ferreira se unir aos enfrentantes que estão surgindo do interior, pois assim conseguiria propagar esse grito de independência também na região metropolitana onde Miguel e Raquel não são tão presentes, formando assim uma união que restauraria a dignidade de todas as regiões de Pernambuco através desse modelo de desenvolvimento descentralizado pensado para chegar em todas as cidades. São três grandes municípios com gestores que mostraram ter potencial de gestão e juntos poderão somar forças para quem sabe realizar esse sonho dos sertanejos que também se estende a todo o interior em ter um governo que saiu do oeste para o mar.

Redação Araripina em Foco