‘Tenho medo que haja mortes na frente do Congresso no domingo’, diz Ciro Gomes

Por - 14/04/2016
Em entrevista concedida à
Rádio Jornal na manhã desta quinta-feira (14), o ex-candidato a presidente da
República Ciro Gomes (PDT) disse que vai rezar pela população brasileira, pois
no próximo domingo, 17, quando será votado o processo de impeachment contra a
presidente Dilma Rousseff (PT), mortes poderão ocorrer em frente ao Congresso
Nacional. “Esse irresponsável, esse canalha do Cunha marcou pra um domingo e
pode haver mortes na frente Congresso”, declarou.
Ciro Gomes também defendeu
a honra da presidente Dilma, mas criticou o governo da petista. “O governo
Dilma cometeu um grave erro de querer ser sério, conheço Dilma e ela é honrada,
mas ela herdou uma gestão mestiça do Lula e este sim tem uma moral frouxa”,
disse.
Sobre a possibilidade de
Dilma mudar o atual cenário de crise política e econômica que vive o País, o
ex-ministro da Fazenda disse que a equipe da presidente é fraca para isso. “O
presidencialismo é tão exorbitante que Dilma pode mudar hoje. Se sinalizasse
diminuição de juros e retomasse programa de investimento na Petrobras. Porém
ela já teve a oportunidade, mas é um governo catatônico com uma equipe fraca”.
Ciro disse, ainda, que
Dilma não consegue a cumprir com a proposta apresentada nesta quarta-feira, 13,
de fazer um pacto com todos os partidos, inclusive com a oposição, caso o
processo de impeachment seja derrubado. “Ela não consegue, mas pode tentar
reconciliar territórios, negociar e dialogar com a população, pois uma das
graves tarefas de Dilma é se reconciliar com o povo. O PMDB tem sete
ministérios e muitos cargos, mas todos estão saindo como ratos, estão saindo
porque Dilma está perdendo a Rua, está perdendo o povo”, disse.
Ciro Gomes também opinou
sobre um possível governo do vice-presidente Michel Temer. “Governo Temer é um
desastre porque não tem legitimidade, a população não votou nele e não o
reconhece. Michel Temer é o chefe da quadrilha e é aliado de Eduardo Cunha em
tudo que não presta. Ele está enrolado até o gogó e é o responsável pelos
presos do PMDB na Lava Jato”, disse.