Teich apontou divergência sobre uso da cloroquina e atividades essenciais como razão da demissão

O Ministério da Saúde confirmou a saída de Nelson Teich e informou que o ministro dará uma entrevista coletiva nesta tarde explicando a demissão.

O ponto central, conforme informou o colunista Lauro Jardim, é a divergência entre Bolsonaro e Teich sobre o uso da cloroquina, no que o Conselho Federal de Medicina também discorda do presidente.

Teich também não gostou de ter sido ignorado sobre a decisão de aumentar o número de atividades essenciais e incluir: salões de beleza, academias e barbeiras como atividades essenciais.

Eis a nota no Ministério da Saúde:

“O ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu exoneração nesta manhã. Uma coletiva de imprensa será marcada nesta tarde”.

Bolsonaro e Teich também vinham discordando sobre o plano de diretrizes para a abertura do país. Bolsonaro segue defendendo a adoção do isolamento vertical, quando especialistas defendem que algumas cidades terão que adotar o bloqueio total, ou lockdown.

Fonte: Época