Uma técnica de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Recife faleceu devido à Covid-19. Liliane Quitéria dos Santos, de 48 anos, foi a primeira profissional do Serviço a perder a vida por causa da doença provocada pelo novo coronavírus.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do Recife lamentou o falecimento da profissional, que atuava há mais de dez anos no Samu e morreu na segunda-feira (15). De acordo com o coordenador geral do Samu no Recife, Leonardo Gomes, a técnica de enfermagem ficou internada ao longo de nove meses.

“Liliane foi acometida há um ano, aproximadamente, por encefalite viral. Na época, não se suspeitou da Covid-19. Posteriormente, foi confirmada a presença do vírus. [O quadro] evoluiu de forma grave, teve um quadro de sangramento cerebral. Estamos tristes e enlutados”, afirmou.

Segundo a família, Liliane adorava o trabalho e estava preocupada em salvar vidas. “Ela começou a sentir fortes dores de cabeça, mas, mesmo assim, durante 15 dias, trabalhou normal. Ela quis continuar salvando vidas e disse que depois iria ver o que era. Só que acabou tendo uma dor muito forte e desmaiou em casa”, contou o tio de Liliane, Lincoln Silva.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, cerca de 500 trabalhadores do Samu contraíram a doença e precisaram se afastar das atividades.

De acordo com o médico neurologista Pedro Sampaio, a encefalite é uma inflamação no cérebro. A complicação neurológica pode acometer pacientes infectados pelo novo coronavírus, mas não é comum.

“Os mais comuns são a incapacidade ou diminuição de sentir cheiro ou gosto. A dor de cabeça tem nos surpreendido, porque tem sido um sintoma muito frequente e às vezes incapacitante, que dura muito tempo. A encefalite é uma inflamação no cérebro, um acometimento muito mais raro”, afirmou Sampaio.

Além da encefalite, o médico também explicou que é possível haver outras complicações decorrentes da Covid-19. “No cérebro, além da inflamação, pode ter também meningite. A Covid-19 também pode aumentar o risco de ter AVC [Acidente Vascular Cerebral], derrame”, disse o médico.

Diante da possibilidade de complicações, o médico alertou para a necessidade de manter a prevenção ao novo coronavírus. “É uma doença que pode ser séria e que é realmente importante que as pessoas se protejam, se vacinem e se isolem”, afirmou.

G1 PE