Servidores da educação de PE param nesta sexta-feira (10) em Petrolina, PE

11/06/2016 15h00
Os trabalhadores da
educação do estado de Pernambuco reuniram-se nesta sexta-feira (10) em frente à
sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Petrolina, no Sertão
pernambucano, em uma paralisação de 24 horas. A principal pauta de
reivindicação da categoria é o não cumprimento do piso nacional ao salário dos
trabalhadores.

“Aderimos à mobilização
com uma paralisação dos trabalhadores da educação em reivindicação à campanha
salarial educacional de Pernambuco. O governo, até hoje, não cumpriu com o que
deveria. Está devendo à educação 11,36% de reajuste, que é referente ao piso
salarial do magistério, desde janeiro de 2016. No ano passado o reajuste foi de
13,01% e ele deu menos de 7%”, disse o presidente do Sindicato dos
Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), Robson do Nascimento.
Segundo Robson o reajuste
para o ano de 2016 é de 11,36%, mas até o momento o governo do estado ofereceu
7% para ser pago a partir de janeiro de 2017, porém esta proposta não é aceita
pela categoria. Por causa da paralisação, as escolas estaduais do município
estão sem aula, mas, de acordo com o Sintepe, devem voltar à normalidade na
segunda-feira (13).

A mobilização aconteceu
desde às 9h na parte externa da agência e não interrompeu os atendimentos.
“Segunda-feira tem nova reunião com o governo. Estamos tentando sensibilizar o
governo de Pernambuco para que ele apresente uma proposta que seja digna de a
gente discutir dentro da assembleia e que a categoria possa acatar. Do jeito
que ele apresentou a gente não aprova”, ressaltou Robson do Nascimento.

Também foi colocado na
pauta de reivindicação a reforma da Previdência Social. “Hoje estamos nesta
mobilização, aliado a uma pauta nacional contra a política neoliberal e contra
uma reforma da Previdência, que prejudica a aposentadoria dos professores”,
disse Robson.
Em nota, a Secretaria de Administração
(SAD) esclareceu que “mantém o diálogo aberto e continua em negociação com
o Sintepe e que está marcada para a próxima quarta-feira, dia 15 de junho, uma
nova reunião para que sejam discutidos os temas apresentados pela categoria ao
Governo do Estado.” G1 Petrolina

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro