Sertão do Pajeú em alerta máximo com fortes chuvas das últimas horas

Chuvas torrenciais em várias áreas do Pajeú deixam cidades em estado de alerta nesta manhã de quarta-feira dia (25).

Em Cachoeira da Onça, uma barragem estourou e atingiu bairros da cidade de Afogados da Ingazeira.  Moradores dos Bairros Borges e Brotas estão ilhados, sem acesso à área central da cidade.

O Riacho do Borges passou a pista seguindo pra Vila Pitombeira. O Rio Pajeú está um pouco próximo da Rua da Lama. Ele desceu com muita força . Muitos ouvintes ligam para  a Rádio Pajeú,  alguns mais desesperados com a água que cobriu a ponte do Anel Viário,  levou móveis. Até um caminhão baú foi visto descendo água abaixo.

O acesso à Afogados da Ingazeira pela PE 292 está interditado pelas águas pra quem vem de Iguaracy. A não ponte resistiu e um trecho da pista foi levada pela força da água.

A Defesa Civil foi acionada e tenta ajudar as famílias de imóveis mais atingidos. Desabrigados estão sendo levados para o PETI, na área central da cidade. Não há relatos de mortes ou feridos. Mas o nível de apreensão é alto. O pico da chuva foi de madrugada.  Há áreas com mais de cem milímetros registrados.

Bairros como São Francisco, acessos como o do Bairro Sobreira também  estão  afetados. Há problemas também em áreas rurais. O riacho do Curral Velho tem grande volume. O volume da Barragem de Brotas e do Rio Pajeú  também aumentou muito.

Em Iguaracy, moradores do Bairro do Campos estão isolados por conta da força da água. A Prefeitura acompanha e dá suporte aos moradores.

Em Carnaíba,  o prefeito Anchieta Patriota destacou que foram mais de 200 milímetros em horas. Na Vila São Geraldo, as chuvas invadiram casas. Em Serra Branca, a Barragem estourou e o volume de água chega ao Rio Pajeú.

Na cidade de Sertânia, o Açude do Governo na fazenda Cachoeira no IPA, há 16 anos não sangrava. A Prefeitura está em alerta pois tudo deságua no Rio Moxotó, que deve subir o nível.

Em Serra Talhada, as chuvas fortes causam grande volume de água no Rio Pajeú. A população está muito apreensiva com a possibilidade de que a água invada ainda mais áreas urbanas. A área do Pátio da Feira da Lagoa Maria Timóteo é a mais afetada

Nill Júnior / Imagem Reprodução