“Se quiseram matar a Jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo e a Jararaca tá viva como sempre esteve”, diz Lula

05/03/2016 18h28
“Eles acenderam em
mim a chama da luta”. Com esta frase marcante, entre muitas outras, menos
de trinta minutos foram mais do que suficientes para que a sociedade brasileira
– mobilizada pelo “espetáculo de pirotecnia” da Rede Globo e outros veículos da
mídia – sentisse os brios altivos e ativos do presidente mais popular da
história do País. Embora magoado e ofendido, como ele próprio reconheceu no
pronunciamento à imprensa, feito na sede nacional do PT, em São Paulo (SP), na
tarde desta sexta-feira (4), Lula garantiu que está com muito “tesão” para
participar da vida política do Brasil.
O ex-presidente se disse
“indignado” com o que fizeram com sua família, e seus companheiros do Instituto
Lula e do PT – vítimas de uma operação de condução coercitiva e busca e
apreensão no início do dia. Apesar disso, se colocou à disposição dos
movimentos sociais, centrais sindicais e todas as organizações de esquerda para
percorrer o País e denunciar o golpismo comandado por setores do Judiciário, do
Ministério Público e da Polícia Federal, em conluio com parte da imprensa.
“Enquanto os advogados não
sabiam nada, alguns meios de comunicação já sabiam. É lamentável que uma
parcela do Judiciário brasileiro esteja trabalhando em associação com a
imprensa”, repudiou Lula.
O episódio, entretanto,
talvez tenha servido para destravar as amarras que vinham deixando a militância
petista tímida e acanhada. “O que aconteceu hoje era o que precisava acontecer
pro PT levantar a cabeça. Há muito tempo que o PT estava de cabeça baixa. Há
muito tempo que todo santo dia alguém faz o PT sangrar. Não precisa prova, é só
dizer”, lembrou.
Quem esperava um Lula
abatido, cansado, cabisbaixo, se deparou com um homem septuagenário com uma
energia e uma lucidez política nunca antes vistas na história desse País. “Se
quiseram matar a jararaca, não bateram na cabeça. Bateram no rabo e a jararaca
tá viva como sempre esteve”, ironizou Lula ao final do pronunciamento.
Confira os trechos mais
importantes da fala de Lula em relação ao contexto político – que não dizem
respeito diretamente ao processo judicial em si – e à reação que deve se
desencadear a partir desta data histórica.

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro