Roseilton diz que Alexandre Arraes deixou milhões em dívidas e teve uma receita de mais R$ 700 milhões

Além de te deixado milhões em dívidas e tido uma receita de mais de 700 milhões de reais em 4 anos, a gestão Arraes não deixou nem um tamborete como bem da prefeitura. A conclusão é do líder do governo na Câmara, Roseilton Oliveira, ao avaliar a administração passada do município de Araripina durante debate sobre o projeto de Lei 025/2019, nesta sexta-feira (06), na Grande Serra FM, com o vereador Luciano Capitão.

O projeto de Lei 025/2019 dá permissão ao governo municipal para a aquisição de máquinas, equipamentos e veículos através de linha de financiamento ofertada à prefeitura de Araripina pelo Banco do Brasil. O texto sofreu pressão contrária da oposição durante discussão do plenário no final de novembro e foi retirado de votação após pedido de vista feito pelo relator da matéria, João Erlan.

O debate promovido pela emissora de rádio colocou frente a frente o líder do governo e o líder da bancada do gesso.

De acordo com Roseilton, o projeto fará com que a prefeitura tenha uma economia mensal de pouco mais de 400 mil reais. A linha de crédito oferecida à Araripina é de 5 milhões de reais. O pagamento, consta no projeto, será feito em 60 parcelas de 75 mil reais.

“Tudo que pretendemos comprar com esse recurso servirá para as futuras gestões. São maquinas para triplicar as reformas das estradas, coletores de lixo para ampliarmos a coleta, UTI móvel gratuita à população, entre outros itens. Isso é fundamental para Araripina pois aumentará a qualidade dos serviços públicos de diversas áreas,” garantiu Roseilton.

Para o líder do governo, a oposição utiliza argumentos “fracos” para questionar a aprovação do projeto. “A conta é muito simples. A prefeitura deixará de gastar com aluguel de máquinas, de pagar empresa terceirizada para coleta do lixo, entre outros quesitos. O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, hoje, desembolsa mais de 1 milhão de reais todos os meses para pagar dívidas de gestões anteriores, mostrando competência e habilidade. Então, o próximo prefeito terá plena capacidade de continuar pagando essa linha de crédito. Não adianta a oposição querer inventar desculpas para votar não”, declarou Oliveira.

Assessoria de Imprensa/Foto: Reprodução