InícioAraripina em FocoRomário se declara a favor do impeachment de Dilma Rousseff

Romário se declara a favor do impeachment de Dilma Rousseff

Antes mesmo da votação do
processo de impeachment contra a presidente Dilma no Senado ter início, o ex-jogador
e senador Romário Farias (PSB-RJ) já declarou que será favorável ao afastamento
da petista.
A votação do impeachment,
que aconteceu nesse domingo (17) na Câmara dos Deputados reuniu 367 votos a
favor do processo e outros 137 deputados se posicionaram contrários. Após obter
maioria dos votos, o processo seguiu para o Senado, onde deverá ser votado
pelos senadores no início de maio.
Em seu perfil no Facebook,
Romário considerou que o domingo foi um dia histórico e disse que defende o
“fim deste governo corrupto”. Além disso, Romário diz que “Dilma fez um péssimo
governo e não teve responsabilidade de zelar pelo bem público”.
“Hoje foi um dia histórico
para nosso País. A Câmara dos Deputados acabou de aprovar o impeachment da
presidente Dilma Rousseff. Agora o julgamento chegará ao Senado e terei a
oportunidade de votar SIM, pelo fim deste governo corrupto. O processo de
impeachment foi aberto no fim do ano passado e aponta que houve crime de
responsabilidade fiscal, decorrente das pedaladas fiscais.
Além disso, com o avanço
da Operação Lava Jato, uma avalanche de escândalos chocou a nação e a
governabilidade ficou seriamente prejudicada. Uso o verbo “chocar” porque, por
mais que soubéssemos da corrupção disseminada, ainda não tínhamos noção de sua
real dimensão. Nem o quanto este mar de lama atingia, mesmo que indiretamente,
a atual governante do nosso País.
Dilma fez um péssimo
governo e não teve responsabilidade de zelar pelo bem público. O principal
operador do Petrolão foi indicação sua. E, diferente do que aconteceu no
primeiro escândalo deste mesmo grupo político, esta nação não aceitará
novamente a cômoda declaração: “Eu não sabia de nada”.
Um processo de impeachment
é dolorido para o País, mas é um mecanismo legal, previsto pela nossa
Constituição. É como aquele remédio amargo que o médico receitou, não gostamos,
mas sabemos que é uma maneira de tentarmos curar a nossa enfermidade. Nosso
País sempre esteve “doente de corrupção”, agora vivenciamos uma crise aguda que
atinge muitas esferas de poder. Dilma precisa ser afastada do cargo!

Agora, temos que tirar
algo de bom dessa crise. Mas só conseguiremos isso se não encararmos este
processo como uma disputa eleitoral. Por isso, meu desejo mais genuíno é que
tenhamos uma eleição em breve. Espero que o TSE conclua a análise do processo
que pede a cassação da chapa que elegeu Dilma e Temer em 2014, para que
possamos realizar novas eleições antes de 2018″.
RELACIONADOS