Representantes de Marina Silva pediram caixa dois à OAS, diz Leo Pinheiro

Por - 14/06/2016
Nas negociações de seu
acordo de delação premiada, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro relatou aos
procuradores da Lava Jato que representantes da ex-senadora Marina Silva
pediram contribuição para o caixa dois da campanha à Presidência, em 2010,
segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo. Segundo o executivo, Marina não
queria mostrar que estava associada a empreiteiras.
Nas tratativas do acordo,
Pinheiro afirmou que os pedidos por contribuição vieram de Guilherme Leal,
sócio da Natura e vice na chapa de Marina, e Alfredo Sirkis, um dos
coordenadores da campanha da ex-senadora. Concorrendo pelo PV, Marina perdeu a
disputa para a presidente Dilma Rousseff.

Guilherme Leal confirmou que
se encontrou com Pinheiro em seu escritório, em São Paulo, em maio de 2010, e
que a reunião ocorreu por intermediação de Sirkis. Os dois, no entanto, negam
ter recebido contribuições ilícitas. Sirkis afirma que a OAS fez uma doação
legal de 400.000 reais para o PV do Rio de Janeiro, que foi registrada na
Justiça eleitoral – e, por isso, não aparece na prestação de contas da campanha
à Presidência em 2010. Leia mais>>>