PT recebeu R$ 270 milhões em propina, diz Paloci

Brazilian former president (2011-2016) Dilma Rousseff (L) embraces Brazilian ex-president (2003-2011) Luiz Inacio Lula da Silva (R) during a Catholic Mass in memory of Lula's late wife Marisa Leticia, at the metalworkers' union building in Sao Bernardo do Campo, in metropolitan Sao Paulo, Brazil, on April 7, 2018. Brazil's election frontrunner and controversial leftist icon said Saturday that he will comply with an arrest warrant to start a 12-year sentence for corruption. "I will comply with their warrant," he told a crowd of supporters. / AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

Antonio Palocci disse em delação que o PT recebeu R$ 270,5 milhões em propina entre 2002 e 2014, informa em matéria exclusiva a revista Veja.

Os valores eram doados por empresas para campanhas, mas em troca de favores: para cada doação, havia uma contrapartida. As negociações eram feitas com a participação de João Vaccari, ex-tesoureiro do partido.

Homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, a fala de Palocci tem 23 anexos e detalha os principais momentos em que os governos petistas se envolveram com corrupção empresarial entre 2002 e 2014.

O depoimento cita ainda a participação de 12 políticos em esquemas relacionados ao partido, entre ex-ministros e parlamentares.

Confira os principais pontos do documento divulgados até agora:

Vaccari

De acordo com o documento, os repasses para campanhas foram feitos tanto de forma declarada como oculta por vários grupos empresariais que recebiam benefícios específicos em troca. Quem intermediava as negociações era o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari, também preso pela Lava Jato.

Lula e Dilma

A delação publicada pela revista mostra que os empresários procuraram várias vezes o PT para bancar as candidaturas à eleição e reeleição de Lula e Dilma Rousseff . Em troca, os presidentes concediam menor tributação para setores específicos, crédito no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)  e apoio da base do governo a medidas que tramitavam no Congresso.Mais notícias

Muamar Kadafi

Segundo Palocci, o ex-presidente Lula teria recebido R$ 1 milhão de dólares (3,5 milhões de reis à época) do ditador líbio Muamar Kadafi, morto em 2011. O dinheiro teria servido para a campanha à presidência da República do petista em 2002.

Castelo de Areia

O documento relata ainda que o PT teria feito uma operação para barrar a Operação Castelo de Areia no Superior Tribunal de Justiça. Segundo o depoimento de Palocci, o esquema rendeu 50 milhões de reais em propinas convertidas em doação eleitoral para Dilma e outros congressistas do partido como, Gleisi Hoffmann, atual presidente da sigla.

Luís Cláudio Lula da Silva

Um dos anexos da deleção revela que Palocci confirmou o envio de propinas da empresa Qualicorp ao PT e à Touchdown, que pertence ao filho caçula de Lula, Luis Cláudio. Segundo o ex-ministro, a companhia teria obtido benefícios junto ao governo na Agência Nacional de Saúde Suplementar.

AF Newss/Foto: Reprodução