Um fato histórico marcou o dia 27 de fevereiro a cidade pernambucana de Trindade, município distante à 594 quilômetros da capital Recife. Nessa data foi oficializado o primeiro casamento religioso de uma união entre uma mulher trans e um homem. Darlene Clouse e Thiago Sousa tiveram que enfrentar o preconceito da sociedade pelo direito de oficializar os laços matrimoniais de acordo com a determinação da lei.

Em entrevista por telefone, a noiva falou desse momento marcante que aconteceu no Espaço Casa Grande da Associação das Mulheres, na qual ela contou com o apoio de algumas pessoas para a realização do evento e agradeceu a presença de todos e especialmente a do Padre da Igreja Anglicana que veio diretamente de Barbalha no Cariri Cearense para fazer a cerimônia religiosa. Segundo a Darlene, para que o casamento acontecesse ela teve que enfrentar a fúria de pastores evangélicos que se opuseram a realização do ato matrimonial, sendo que estes foram às Autoridades pedir para que não fosse feito o evento, tomando como base o decreto estadual de combate ao Covid-19. Ainda de acordo com ela, ao tempo todo o casal era ameaçado por um agente de um grupamento da Policia Militar que falava em prisão caso persistissem em realizar a cerimônia. Mas essas barreiras foram vencidas e teve a concretização do casamento e a realização de um sonho.

Uma live seria realizada para transmitir o evento online, mas não foi possível devido uma proibição, fato que a deixou triste. Por outro lado, ela se sente orgulhosa e privilegiada, isto por que, muitos casais LGBTQ+ queriam ter esse casamento assim como foi realizado tanto no Cartório e princialmente no religioso. Por fim ela agradece os padrinhos, amigos e familiares por estar junto do casal nesse momento importante que oficializou o amor entre os dois.

Darlene e Thiago

A união entre pessoas do mesmo sexo é um tema polêmico dentro dos conceitos e ensinamentos religiosos. O líder da maior instituição religiosa do mundo se mostrou à favor do reconhecimento dos direitos civis entre casais homoafetivos. tanto do lado Católico como do Evangélico tem surgido cada vez mais espaços para acolher esse público que também são fiéis. E a partir desses contextos tem surgido igrejas denominadas de inclusivas encorajando pessoas como o casal Darlene e Thiago a assumir suas orientações e viverem felizes.

Redação AF News / Colaboração de João Andrade / Imagem: Divulgação