Prefeitura de Araripina compra R$ 612 Mil Reais de Manivas, mas agricultores não receberam um talo de semente

Por - 14/10/2015
R$ 612.524,95 (seiscentos e
doze mil quinhentos e vinte e quatro reais e noventa e cinco centavos).
Esse é o valor exato
comprado e pago em semente de mandioca (maniva) para distribuir com 7.200,00
(sete mil e duzentos) agricultores, segundo o que mostra o portal da
transparência da prefeitura de Araripina.
O problema é que esse volume
de semente de mandioca (maniva) de 33.344,00 m³ (trinta e três mil, trezentos e
quarenta e quatro) Metros cúbicos, comprados a duas pessoas nos anos de 2013 a
2015, não chegou até os plantadores de mandioca, muitas associações do
município chegaram a vender as sementes para prefeitura, mas os agricultores
reclamam nunca ter recebido um tostão até o momento.
Os empenhos pagos pela
prefeitura de Araripina pela compra de manivas aparecem nos nomes de Francisco
Salomão de Moraes Júnior e Claudio Marcos Camelo Vasconcelos.
O absurdo não está apenas
nas sementes que não foram entregues, mas também nas contradições gravíssimas
encontradas nos empenhos.

Em nome de Francisco Salomão
de Moraes Júnior, por exemplo, aparece um empenho pago em abril desse ano no
valor de 152.305,68 (cento e cinquenta e dois mil  trezentos e cinco reais
e sessenta e oito centavos) pagos por 3.600m³ (três mil e seiscentos) metros
cúbicos de semente de mandioca (maniva).
Um mês depois é pago a mesma
pessoa pelos mesmos 3.600m³ (três mil e seiscentos) metros cúbicos de maniva o
valor de 84.694,32 (Oitenta e quatro mil seiscentos e noventa e quatro reais e
trinta e dois centavos) como se explica uma diferença de R$ 67.611,36 (sessenta
e sete mil, seiscentos e onze reais e trinta e seis centavos) em apenas um mês
na compra da mesma quantidade de maniva?  Tem algo MUITO ERRADO nessa história.
AGORA VAMOS PARA O SENHOR
CLAUDIO MARCOS CAMELO:
Os valores pagos a pessoa de
Claudio Marcos Camelo Vasconcelos, também chama a atenção pela grande diferença
de preço num curto período de tempo de compra feita pela prefeitura, o portal
da transparência aponta que Claudio recebeu em março de 2013 pela venda de
12.000m³ (doze mil) metros cúbicos de maniva a quantia de R$ 196.150,85 (cento
e noventa e seis mil, cento e cinquenta reais e oitenta e cinco centavos)
Um mês depois, foi pago a
Claudio Marcos, por apenas: 2.144m³ (dois mil cento e quarenta e quatro) metros
cúbicos, R$ 142.940,48 (cento e quarenta e dois mil, novecentos e quarenta
reais e quarenta e oito centavos) observe que a metragem é muito menor e o
valor pago é muito superior ao anterior.
Aqui os valores foram
invertidos, 2.144m³ valeu muito mais que os 12.000m³, como se explica essa
matemática?
VEJAM O EXTRATO GERAL DE
CLAUDIO MARCOS:
Esse é o modelo do PSB
governar adotado pelo prefeito Alexandre Arraes.
A diferença paga por uma
quantidade muito menor de maniva em um curto espaço de tempo é escandaloso, ao
todo, Claudio Marcos Camelo Vasconcelos recebeu da prefeitura de Araripina R$
372.024,94 (trezentos e setenta e dois mil, vinte e quatro reais e noventa e
quatro centavos) pela venda de maniva em 2013.
E Francisco Salomão de
Moraes Júnior, recebeu R$ 240.500,00
Vejam o que
falam alguns agricultores para saber se eles receberam a tal maniva:
A reportagem foi feita pelo blogueiro Paulo Elias do Blog Araripina Fatos em Fotos: