E os escândalos nas contas públicas começam a surgir a partir dos levantamentos feitos pelas novas administrações dos municípios pelo país. Em Moreilândia no Sertão do Araripe, o prefeito Teto Teixeira resolveu abrir o jogo e mostrar um rombo de mais de 10 milhões em dívidas adquiridas por gestões passadas para a prefeitura do município conhecido como a terra do mel.

Segundo divulgou o gestor, todos os seus secretários irão fazer levantamentos da situação de cada secretaria municipal e irá expor os números e a real situação em que se encontra os órgãos públicos bem como seus equipamentos e recursos materiais e financeiros.

De acordo com a Assessoria de imprensa, o Governo Municipal de Moreilândia está realizando uma pequena série de videos, onde tem como principal objetivo mostrar a real situação de como foi recebido o município e esclarecer pontos pertinentes perante toda a população.Durante quase dois meses de governo já é notória as melhorias nos sistemas básicos no nosso município. Nossos secretários irão de forma clara e objetiva esclarecer as diversas situações em suas respectivas pastas no decorrer desses dias, focando nas problemáticas de como receberam, quais foram as soluções das problemáticas nesse primeiro momento e quais as projeções futuras para o ano 2021 e sequencialmente o mandato 2021/2024.

Essa série de exposições do caus administrativo na qual vive a cidade sertaneja iniciou-se nessa terça-feira 23 de fevereiro com a Secretaria de Administração e Finanças que na verdade é a principal entre todas as outras e trouxe a revelação de uma dívida estimada em R$10.592.887,56 (dez milhões, quinhentos e noventa e dois mil, oitocentos e oitenta e sete reais e cinquenta e seis centavos).

Além desses problemas ocasionados por más administrações, ainda há o abandono das estradas de acesso à cidade que estão cheias de buracos, e a produção do mel caiu muito durante esses tempos. Segundo fontes, tem que encomendar o mel pois não é encontrado fácil na feira. A infraestrutura do município também deixa a desejar, os bancos das praças precisam de restauração e pinturas e o asfalto não chegou às ruas que são na maioria em paralelepípedos. Não há também nenhuma emissora comunitária para servir a população e a cidade depende muito dos serviços encontrados no Exu. Por tanto, se não houver uma força tarefa para solucionar todos esses problemas mostrados pela atual gestão, a tendência é o rebaixamento da cidade ainda mais, e consequentemente a retirada de investimentos públicos nas esferas Estadual e Federal.

Confira o vídeo na qual o prefeito expõe o caus administrativo:

Redação AF News / Imagem: Reprodução / Vídeo: Assessoria de Comunicação Moreilândia