Por pandemia, Federação Pernambucana cancela todas as competições de base em 2020

A pandemia do novo coronavírus causou o primeiro efeito definitivo no futebol pernambucano. Se, apesar da curva ascendente de casos da doença, a Federação Pernambucana ainda acredita na volta do Estadual, o mesmo não se aplica às competições das categorias de base. Em entrevista ao Diário de Pernambuco, o presidente da FPF, Evandro Carvalho, informou que a entidade decidiu cancelar todos os torneios voltados para a formação de jogadores em 2020.

Para se ter uma ideia, no ano passado, foram três competições de base organizadas pela Federação Pernambucana, com os estaduais das categorias sub-15, sub-17 e sub-20. Sendo assim, o dirigente garantiu, além da conclusão da Série A1 profissional, apenas a realização do Estadual da Série A2, que será iniciado no segundo semestre. De acordo com o dirigente, por ser uma competição “obrigatória”, uma vez que a Lei Pelé exige que as entidades realizem torneios com ascenso e descenso atendendo critérios técnicos. 
“Já acertamos que só vamos ter as Séries A1 e A2. Já estamos com uma dificuldade enorme de fazer esses dois campeonatos, imagina organizar sub-15, sub-17 e sub-20. Está 100% definido que não vai ter”, assegurou Evandro. 
“Até porque são atletas menores de idade e existe um problema legal muito sério. Seria preciso a autorização de todos os pais, do juizado. Base é muito complicado com a questão de saúde. Seria preciso, a realização de outros exames, além da Covid-19”, completou.

Ainda segundo Evandro, essa decisão de cancelar as competições de base deve ser seguida por outras federações no país. Já com relação aos torneios nacionais, o presidente da FPF ainda deposita um certo otimismo. A CBF organiza os campeonatos brasileiros sub-20, sub-17 e de aspirantes. Além da Copa do Brasil e Supercopa do Brasil Sub-20 e Sub-17 e também a Copa do Nordeste Sub-20.

“Eu acho que nenhuma federação vai organizar competições de base esse ano. Porque vai ser um esforço e um gasto inimagináveis, quando se pode concentrar isso no futebol profissional e deixar a base para o próximo ano, com as competições ampliadas. O foco agora é com o futebol profissional. Se dissipar muito, atrapalha. As despesas já serão enormes”, analisou.
“Já a CBF é outra realidade. Porque mesmo nas competições de base ela consegue patrocinadores que podem injetar recursos. Mas nos estados não têm nada disso. Tudo é a federação que paga. É outra realidade”, concluiu. 

Feminino

Evandro Carvalho também colocou em risco a realização do Campeonato Pernambucano feminino. Porém, ao contrário das competições de base, não cravou o cancelamento. “Se as coisas melhores de tal jeito que fique tudo solucionado, a gente pode fazer. Mas vendo o problema como está agora, a previsão é fazer só as Séries A1 e A2. O feminino, se melhorar alguma coisa, a gente consegue fazer”, pontuou.
Nesta quinta-feira, a secretaria de saúde de Pernambuco confirmou mais 943 casos e 42 mortes por conta do novo coronavírus. No total, já são 10.824 casos e 845 óbitos pela Covid-19 no Estado.

Super Esportes PE / Imagem: Reprodução