Por decreto, Paulo Câmara retira quase R$ 1 milhão da educação para colocar na Casa Civil

25/02/2016 18h35
Sem alarde, o
governador Paulo Câmara (PSB) assinou, na terça-feira (23), um decreto
retirando 988 mil reais da Secretaria Estadual de Educação para colocar na Casa
Civil. Os recursos da educação
eram originalmente destinados para atividades fins da secretaria e também a
operacionalização da gestão escolar.
A Casa Civil é um órgão de
gestão política e assessoria direta do Palácio do Campo das Princesas. O
decreto não dá maiores detalhes da destinação final do dinheiro retirado da
educação, apenas que irá ajudar o arquivo estadual, um dos departamentos da
Casa Civil.
Fontes palacianas dizem
que é uma movimentação meramente contábil, que não trará prejuízo à educação.
Para outros, não deixa de ter um certo simbolismo.
Remanejamento de verbas
O secretário da Casa
civil, Antônio Figueira, explicou ao blog, ainda há pouco, que não há prejuízo
algum para a área de educação com o remanejamento, feita pelo governador Paulo
Câmara (PSB), nesta terça-feira (23), com um decreto retirando 988 mil reais da
Secretaria Estadual de Educação para colocar na Casa Civil.
“Até o ano passado, o
Arquivo Público era parte da Secretaria de Educação. Hoje, faz parte da Casa
Civil. No ano passado, me deram o Arquivo Público e não deram o custeio dele. O
remanejamento ocorre para atualizar isto. Esse é dinheiro que era usado para
alugar galpão, pagar energia, administração”, justificou. (Fonte:blog do Jamildo) 

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro