O direito de ir e vim é garantido pela Constituição Federal de 1988, porém, a realidade enfrentada pela população que vive nos municípios do Sertão do Araripe é bem diferente.

Com a precarização do transporte e da escassez desse serviço, cidades como Granito e Moreilândia não dispõe de linhas de ônibus por exemplo. O transporte é realizado em vans e quando aparece uma que vá para o Crato ou Juazeiro via Ouricuri.

As cidades que ainda possuem empresas de ônibus que operam nos terminais rodoviários são Araripina, Bodocó e Ouricuri, sendo que o problema nessas duas primeiras cidades é a rodoviária. Na terra do leite o terminal já está para cair e na terra do gesso se arrasta em uma reforma a passos lentos.

Outra dificuldade e talvez o grande problema enfrentado por essa gente são as péssimas condições das estradas, é muito buraco para pouco pneu. Um fato triste e que resulta na rejeição das empresas em disponibilizar o serviço de transporte nas cidades do Araripe. Pernambucana, Guanabara, progresso e outaras empresas evitam operar em nossa cidades que são de difícil acesso. Prejudicando os dez municípios e diversos distritos que por falta de locomoção perde muito em suas economias.

Com a pandemia esse fato se agrava e fica mais difícil encontrar transporte, pois ficam muito lotados e a lei de enfrentamento a Covid proíbe aglomerações. Neste caso perde a população e também as empresas pois os impostos tem que ser pagos, com ou sem transporte circulando, com ou sem buraco nas rodovias.

Redação AF Newss / Imagem: Reprodução