Polícia investiga desaparecimento de ponte em Santa Filomena, no Piauí

O prefeito Carlos Augusto Araújo Braga, de Santa Filomena, 925 km ao Sul de Teresina, registrou boletim de ocorrência depois que uma ponte desapareceu do município. A construção de metal e cobertura de madeira teria sido retirada, vendida e instalada no município vizinho, Gilbués, sem autorização. A Polícia Civil apura o caso.

Segundo o prefeito, a ponte começou a ser removida da cidade no dia 29 de junho. O elevado custou R$ 56 mil e ficava instalada sobre o Córrego Certeza, a 18 km da sede do município.
“Ela já não estava mais sendo tanto usada, mas o nosso objetivo era transferir a construção para um outro córrego que passa pelo Centro do município. Então fomos surpreendidos com esse desaparecimento. A soberania da nossa cidade foi desrespeitada”, declarou.

Quando foi informado do caso, o prefeito soube que a ponte seria instalada em Gilbués. Ele informou ter entrado em contato direto com o prefeito da cidade, Leonardo Matos, que disse que responderia posteriormente sobre o caso.
O G1 procurou o prefeito Leonardo Matos por celular e pelo telefone da prefeitura da cidade, para comentar o caso, mas as ligações não foram atendidas.
Segundo Carlos Augusto, o prefeito Leonardo disse ter sido vítima de um engenheiro que vendeu a ponte como pertencente ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A ponte estaria supostamente sendo vendida por estar sem uso, segundo o relato.

“Mas a ponte não é de responsabilidade do DNIT, ela foi construída há oito anos com recursos do município. Eu como gestor não posso ser omisso e por isso registrei boletim de ocorrência para que a polícia investigue. Não posso julgar nem condenar ninguém”, explicou.
Ele destacou que não denunciou o prefeito de Gilbués, mas apenas pediu que o caso seja investigado e o responsável seja punido e esclareça o que aconteceu.

A ponte foi devolvida pela prefeitura de Gilbués e está novamente em Santa Filomena. Ela será instalada no Centro do município nos próximos dias. A investigação criminal continua e o caso está sob responsabilidade do delegado regional da cidade de Corrente, Leandro Damasceno.

“O prefeito de Santa Filomena comunicou o fato na delegacia e estamos apurando a veracidade para devida instauração de procedimento policial e responsabilização legal”, declarou o delegado.