InícioAraripina em FocoPOLÍCIA ENCONTRA NOVO SUSPEITO NO CASO DE BEATRIZ

POLÍCIA ENCONTRA NOVO SUSPEITO NO CASO DE BEATRIZ

Um novo suspeito para o caso
Beatriz Angélica Mota. Após seis meses do crime que chocou o Estado e gerou
diversas manifestações de moradores de Petrolina, no Sertão, e Juazeiro, na
Bahia, continua sem elucidação. No entanto, uma nova prova vem ajudando nas
investigações conduzidas pela Polícia Civil. Um vídeo amador que mostra a parte
interna da quadra do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora revela a presença de
outro desconhecido próximo ao bebedouro onde ela foi vista pela última vez.
Completados seis meses de investigação, nenhum suspeito pelo crime foi preso,
além disso, nenhuma autoria do assassinato foi apontada pela polícia.
O delegado responsável pelo
caso, Marceone Ferreira, confirmou ontem em coletiva à Imprensa a existência da
filmagem, mas não quis detalhar o conteúdo. Porém, em entrevista à Folha de
Pernambuco, o pai de Bia, como era carinhosamente apelidada, revelou nuances
que apontam o passo a passo dela antes de sumir e a presença de um homem que
frequentou o mesmo local.
Segundo Sandro Romildo, a
filmagem feita por uma pessoa que pediu anonimato identificou a hora exata em
que Beatriz desce para o bebedouro e em seguida um desconhecido também segue o
acesso para o local. “Bia desceu as escadas para o acesso ao bebedouro
aproximadamente às 22h20. Dois funcionários da escola permitiram o acesso dela
ao local, mesmo a passagem estando bloqueada, pelo fato de que uma diretora da
escola estava vendendo água na festa. Dezenove segundos após, um homem
desconhecido também desceu os degraus. Minutos depois, ele sobe, mas Bia não
sobe mais”, revelou o pai.
Sandro diz que esse trecho
do vídeo foi um dos poucos a que ele teve acesso. “O vídeo surgiu quando uma
pessoa nos procurou. Marcamos com essa pessoa, mas ela não foi. A polícia teve
posse do conteúdo e tive acesso a alguns trechos”, comentou. A Folha procurou o
delegado Marceone Ferreira para repercutir sobre a existência de um novo
suspeito, porém o investigador não retornou as ligações.
Anteriormente, ele havia
dito que o retrato falado de um suspeito de participação no crime, divulgado em
fevereiro, está sendo reavaliado e poderá sofrer modificações. “Durante as
investigações, novas testemunhas oculares apareceram. Portanto, o retrato
falado pode sofrer modificações em suas características. Mas, isso ainda está
sendo avaliado”, disse Ferreira, que colheu mais de 130 depoimentos até o
momento.
Por Zé Carlos Borges
WhatsApp (74) 99140 5525

Com informações de Wilson
Maranhão, da Folha de Pernambuco
RELACIONADOS