Pernambuco terá uma nova cervejaria, com investimento de R$ 118,4 milhões

Por - 29/12/2015
O polo cervejeiro de
Pernambuco – integrado por grandes companhias do setor – vai ganhar um
concorrente local. A IBBEB Indústria Brasileira de Bebidas vai investir R$
118,4 milhões na implantação de uma fábrica no município de Igarassu, no Grande
Recife. Comandado pelo empresário Carlos Pessoa de Queiroz – com expertise no
setor sucroalcooleiro -, o empreendimento tem previsão para começar a operar em
2018, com a geração de 225 empregos. O anúncio foi feito ontem, durante a
quarta e última reunião do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial
e de Serviços (Condic), que aprova incentivos fiscais para projetos no Estado.
“A ideia dos investidores
é antecipar a comercialização do produto para tornar a marca conhecida antes da
instalação da indústria. A empresa está fazendo estudo de localização para
identificar as plantas de cerveja no Nordeste que podem ser parceiras na terceirização
da produção. Se for fechada a parceria, a proposta é iniciar as vendas no
segundo semestre de 2016”, observa o consultor Marcio Borba, responsável pelo
projeto.
A proposta da IBBEB é
fabricar, cerveja, chope, refrigerante e outro dez tipos de bebidas. A aposta
inicial será na cerveja, que teve a marca batizada de Umma. A indústria terá
capacidade para produzir 1 milhão de hectolitros de cerveja e chope e 1 milhão
de hectolitros de refrigerantes. Quando estiver em plena operação, a planta
terá faturamento R$ 463 milhões. Os 225 empregados serão contratados na fase de
teste para a implantação, prevista apenas para 2016. A empresa ainda não
informa quais são as categorias profissionais, mas as indústrias do setor
costumam contratar operadores de máquinas e pessoal de logística e de vendas.
Márcio Borba conta que o
projeto vinha sendo estudado desde 2011 e que só saiu do papel quando foi
concluída a estrutura de capital. A concorrência é acirrada no setor
cervejeiro, com pesados investimentos em marketing e tecnologia. A última
cervejaria pernambucana que tentou competir nesse mercado foi a Frevo, que
acabou fechando. A IBBEB ainda não informou qual será seu posicionamento de
mercado. O produto vai começar sendo vendido em Pernambuco e depois chega aos
demais Estados do Nordeste.

O secretário estadual de
Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões, comemorou o resultado do ano, apesar
do cenário adverso. “Aprovamos R$ 620 milhões em projetos e atraímos outros que
ainda vão passar pelo Condic, a exemplo da Unilever e da Mineradora Floresta”,
destaca. (Diario-PE)