O DEM avalia suspender a filiação do senador Chico Rodrigues (RR), após a Polícia Federal apreender cerca de R$ 30 mil em dinheiro vivo dentro da cueca do parlamentar, nesta quarta-feira (14), durante operação contra desvios de recursos públicos para o enfrentamento à Covid-19.

Integrantes da cúpula do partido conversaram sobre o assunto na noite de ontem, logo após a imprensa divulgar o fato. A avaliação foi de que é preciso tomar uma medida o mais rápido possível, para que a notícia não prejudique candidatos da sigla nas eleições municipais.

No Senado, parlamentares governistas, da oposição e até do grupo “Muda, Senado” relataram clima de “constrangimento”. Apesar disso, ponderaram que é preciso aguardar o avanço das investigações e dar o direito de defesa a Rodrigues, antes de pedirem sanções disciplinares contra o senador.

Uma fonte com bom trânsito no Senado lembrou à CNN que o parlamentar do DEM deve ser favorecido pelo fato de o Conselho de Ética da Casa não estar funcionando. O colegiado está suspenso em razão da pandemia do novo coronavírus.

Bizarra

No governo, ministros classificaram a notícia como “bizarra” e disseram que o presidente Jair Bolsonaro não terá outra saída, senão destituir Chico Rodrigues da vice-liderança no Senado. “Ele tem que fugir de Brasília”, disse à coluna um ministro do núcleo político.

Auxiliares presidenciais classificaram ainda a situação como “grotesca” e defenderam que o ideal seria o parlamentar pedir uma licença do Senado. “Não tem clima para ele continuar no Senado. Se saírem as fotos, vai ser desmoralizante”, disse um ministro do governo.

CNN BR / Imagem: Reprodução