Para evitar fraude, concurso da Polícia Militar será monitorado pelo MPPE

Por - 16/04/2016
Para garantir a segurança
do concurso público da Polícia Militar de Pernambuco, com inscrições encerradas
no último domingo, o Ministério Público irá acompanhar todas as etapas das
provas e a divulgação dos resultados. Uma reunião entre promotores de Justiça
de Defesa do Patrimônio Público da Capital, representantes das secretarias
estaduais de Administração e de Defesa Social com integrantes do Instituto de
Apoio à Universidade de Pernambuco (IAUPE/Conupe), empresa organizadora do
certame, definiram estratégias. No total, mais de 121 mil pessoas se
inscreveram no concurso.
“Quem organiza um concurso
dessa dimensão tem que estar disposto a adotar o maior número possível de
medidas de segurança, sob pena de que haja questionamentos posteriores quanto à
legalidade do certame. Isso não só causa muito prejuízo aos candidatos, como
macula a imagem da empresa organizadora”, alertou a promotora Lucila Varejão.
No último concurso da PM, em 2009, foram registradas várias denúncias de
fraudes no que diz respeito à desorganização da banca, falhas no armazenamento
e manuseio dos cadernos de prova e revista inadequada para coibir o uso de
aparelhos eletrônicos.  “Não podemos
admitir que volte a acontecer situação semelhante”, disse o promotor Eduardo
Cajueiro.
Foi solicitado ainda que a
comissão do concurso informe ao Ministério Público sempre que houver alterações
no edital. “Também é importante termos diálogo franco sobre as medidas de
segurança que serão adotadas para o armazenamento das provas e a fiscalização
dos candidatos no dia da prova”, afirmou Cajueiro. O coordenador do
IAUPE/Conupe, Gledeston de Melo, explicou as medidas adotadas durante as provas
escritas. “Em relação aos cadernos de provas, já adotamos a prática de utilizar
capas, de modo que o conteúdo das provas não é visível através do envelope.
Além disso, aumentamos o número de detectores de metal no acesso ao prédio, aos
banheiros e às salas de aula”, afirmou.

Três fases do concurso
estão previstas: no dia 29 de maio acontecem as provas escritas. Os aprovados
passarão pela etapa de teste de aptidão física entre 27 de junho e 18 de julho
e, por fim, avaliação psicológica entre 30 de julho e 10 de agosto. Há 1,5 mil
vagas disponíveis. O MPPE propôs que a IAUPE respeite os prazos previstos no
edital para responder a recursos, fundamentando as respostas tanto no caso de
deferimento como indeferimento de pedidos. Os exames físicos devem ser
realizados apenas por profissionais especializados, a fim de garantir isonomia
aos candidatos. (fonte: JC)