“Paga tuas contas Pirangueiro, paga tuas contas Trambiqueiro”, esse era o grito em frente a prefeitura de Araripina

Por - 04/01/2016
Na manhã desta
segunda-feira (04) de Janeiro de 2016, no primeiro dia útil do ano, cerca de 200
servidores municipais fizeram manifesto em frente à prefeitura de Araripina-PE.

O grito do povo foi exatamente esse “Trambiqueiro, Caloteiro,
Pirangueiro. O sentimento do povo não poderia ser outro, ainda mais de quem
passou o natal e ano novo com apenas 40% do seu salário, sem contar no atraso
do mês de dezembro, é uma situação que não pode continuar em Araripina.

“Quem recebe a aposentadoria
pela prefeitura também aguarda o pagamento de novembro. Os professores
receberam 40% do correspondente a novembro e os outros funcionários da educação
não foram pagos. O prazo para pagar o mês de dezembro está quase acabando”,
disse Silva. O presidente do Sindicato explicou que a categoria não pretende
mais se reunir com a prefeitura. “A gente não aceita mais reunião, queremos o
pagamento. Na próxima quinta-feira (7) vamos ao Ministério Publico pedir para
agilizar a Ação Civil Pública que solicitamos para que a prefeitura seja
penalizada pelo atraso”, acrescentou.
A primeira mobilização dos
servidores aconteceu no dia 16 de dezembro. Na oportunidade os trabalhadores
fizeram uma caminhada e se reuniram com representantes da prefeitura. A classe
entrou em greve no dia seguinte. No dia 22 do mesmo mês foi realizada uma
ocupação da prefeitura de Araripina.
Em nota, a prefeitura do
município explicou que as dificuldades de pagamento foram provocadas pela crise
financeira do país e que efetuou o pagamento do mês de novembro de todas as
secretarias, mas que, por escassez de recursos, a Secretaria de Educação pagou
metade dos vencimentos dos professores e o restante foi agendado para o próximo
dia 11. Além disso, a nota afirma que a prefeitura pretende direcionar os
recursos que chegarão aos cofres públicos, de forma prioritária, para
normalizar a situação de todos os servidores, inclusive dos contratados.
Acompanhe o discurso do presidente do SIMA Tiago :