Novas regras para contratação de delegados em Pernambuco

Por - 22/12/2015
O governador de
Pernambuco, Paulo Câmara, sancionou na última semana uma lei complementar
relacionada ao cargo de delegado da Polícia Civil. A partir de agora, os
interessados em seguir a carreira devem ser aprovados em concurso público de
provas e títulos, com participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e
ter, no mínimo, três anos de atividades jurídicas ou policiais, comprovadas no
ato da posse.
O texto com as mudanças,
publicado no Diário Oficial do último sábado (19), ressalta que a experiência
de três anos não se aplica a concurso público iniciado antes da vigência da lei
complementar.
Quem pretende seguir a
carreira de delegado da Polícia Civil precisa ficar atento às mudanças, já que
há previsão de concurso para 100 vagas no próximo ano, segundo a Secretaria de
Defesa Social. A Cebraspe, mais conhecido como Cespe/UnB, será responsável pela
realização do concurso. O edital, previsto para ser lançado ainda neste ano,
não foi divulgado.
A SDS também abriu vagas
para outros cargos na Polícia Civil. Serão 500 vagas para agentes, 50 para
escrivão, 40 para médico legista, 56 para perito criminal, 73 para auxiliar de
legista, 96 para auxiliar de perito e 51 para perito papiloscopista.
A contratação de novos
delegados atende a uma antiga demanda em Pernambuco. Vários municípios do
Agreste e Sertão não possuem delegados titulares, obrigando outros
profissionais a se reversarem durante a semana para dar conta dos inquéritos.
Na capital pernambucana, a situação não é muito diferente. Com a falta de
delegados suficientes, profissionais precisam acumular mais de uma delegacia
quando outros saem de férias.

Previsto para abril deste
ano, o concurso para delegado foi suspenso pela Justiça. (Fonte:DiarioPE)