Não vou servir de escada para vereador dormir na Câmara, diz Idelfonso do Mel

Por - 28/06/2016
Izabel Cristina, Idelfonso e Damião Sousa do Araripina em Foco
Entrevista
com Idelfonso do Mel

Polêmica
Saída do grupo de Aluízio Coelho, qual foi o motivo?
Idelfonso disse que o motivo da sua saída foi à falta de coerência do pré-candidato Aluízio
Coelho (PP). – “O Partido Progressista PP tinha um projeto inicial onde eram 28
pré-candidatos a vereador, todos de maneira igualitária e quando recebi o
convite para fazer parte do PP, eu tive a garantia do presidente Dr. Aluízio
que nós não teríamos vereadores de mandato no meio do nosso grupo, ou seja, não
iriamos aceitar fazer calda para vereador, até mesmo porque dentro de um projeto
que a gente imagina o “novo
realmente é uma proposta nova, uma proposta fora do que Araripina está vivendo
hoje, a gente sabe que Araripina vem passando por problemas seríssimos, problemas
esses de ordem política e a gente que vinha com uma nova proposta, apresentando
isso para Araripina, não conseguia conceber que nós nos misturássemos com
aquilo que há de velho na política de Araripina, então tinha esse projeto com
todos esses pré-candidatos, mas infelizmente o acordo de não coligarmos com
vereadores de mandato não foi cumprido. Eu tinha avisado a Aluízio, se caso
isso acontecesse eu não faria mais parte do projeto e assim estou fazendo,
porque o político ele vive da opinião pública, e o político tem que ter
palavra, se ele não tiver palavra, não serve para a opinião pública, eu estou
cumprindo com a minha palavra”.
Futuro
Político
Perguntamos qual seria o
posicionamento de Idelfonso em relação a sua saída do grupo de Aluízio e para
qual grupo ele vai, se era para o grupo de Tião do Gesso, Valmir Filho ou de
Raimundo Pimentel?
Ele respondeu dizendo que
conversou com vários grupos e amigos, e que já tomou uma decisão e vai ficar
com o PRTB de Mazinho de Zeca. Segundo Idelfonso o partido é independente e
estar dentro do projeto que ele quer, ou seja, dá para brigar de igual para
igual, também é um partido que não vai fazer chapão com ninguém, então é a
melhor via que ele considera para trabalhar essa coligação.
“Como o prazo de filiações
aos partidos para aqueles que queriam ser candidatos já encerrou, eu não serei
mais candidato, mas o meu projeto continua, tenho a minha esposa Izabel
Cristina que é vice-presidente do diretório municipal do PT – Partido dos Trabalhadores,
o diretório estadual já demonstrou o interesse de ter uma candidatura em
Araripina. Izabel é uma pessoa que se enquadra perfeitamente nesse projeto
voltado para as causas sociais, ela é ACS Agente Comunitária de Saúde, ela é
técnica em enfermagem lotada no Fernando Bezerra em Ouricuri, é uma pessoa
muito bem vista na comunidade do bairro Universitário, então ela se enquadra
nesse projeto para o legislativo, logicamente que não somos candidatos para nós
mesmo, ao contrário de alguns políticos nós não tomamos decisões sozinhos,
temos que ouvir primeiro o povo para depois tomarmos nossas decisões”.
Idelfonso disse ainda que
hoje as chances da candidata ser Izabel são de 70%. “Estamos a quarenta dias
das convenções e daqui pra lá sabemos que pode haver muitas mudanças, mas
quanto mais se aproxima as convenções à probabilidade dela ser a candidata só
aumenta”.
Idelfonso diz ainda em um
trecho que Aluízio recebeu um dos políticos mais queimado e mal avaliado dentro
da Câmara de vereadores de Araripina, o que para ele fica uma coisa conturbada
demais.
Coerência

Idelfonso indaga, quem ouviu a última entrevista de Aluízio na rádio, o viu
falar da palavra coerência, aí eu pergunto, cadê a coerência que ele tanto
fala?
Quando falamos do novo
dentro da política, não é o “ novo idade”, ou tempo cronológico, são novas
ideias, projeto novo para Araripina, então Aluízio está sendo muito incoerente
nas suas decisões, classifica Idelfonso.

Que proposta essa de um
novo que está atrelado ao velho? Pergunta Idelfonso, ao mesmo tempo deseja
sorte aos que ficaram lá com Aluízio.

Reportagem Damião Sousa l Araripina em Foco l Política