O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou na manhã desta terça-feira 15/09, que há um funcionário dentro do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), órgão subordinado ao MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), que “faz oposição” ao próprio governo e divulga dados negativos sobre as queimadas na Amazônia.

Ele acrescentou: “Não sei [quem é o servidor], não sou diretor do Inpe”.

“Pessoal, o que acontece: eu recebo o relatório toda semana. Até dia 31 de agosto, tínhamos 5 mil focos de calor a menos do que até o dia 31 de agosto do ano passado, de janeiro a agosto. Agora, o Inpe não divulga isso. Por que? Não é o Inpe que está divulgando. É o Doutor Dalton, que é o diretor do Inpe, que falou isso? Não. É alguém lá dentro que faz oposição ao governo. Estou deixando muito claro isso aqui. Aí, quando o dado é negativo, o cara vai lá e divulga. Quando é positivo, não divulga. Entendeu?”, questionou

Mourão deu a declaração a jornalistas que o aguardavam chegar ao Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo. O vice-presidente chegou ao local por voltas das 10h –ou seja, 1h depois do horário tradicional, às 9h. Isso porque ele costuma andar a cavalo na 3ª e na 5ª feira.

Há uma controvérsia na leitura dos dados do Inpe. O vice-presidente afirmou na última semana que houve redução de 7% nas queimadas no período de 1º de janeiro a 31 de agosto deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 44.013 focos de calor em 2020, ante 46.824 em 2019.

Por outro lado, a análise dos números referentes ao período de 1º de janeiro a 9 de setembro deste ano mostra 56.425 focos na região amazônica. É o maior número desde 2010 no período.

Poder 360 / Imagem: Reprodução