Motorista sobrevive ao atropelar cavalo e animal entrar por para-brisa na Bahia

04/05/2016 12h34
O motorista de uma
ambulância sobreviveu após um cavalo entrar pelo para-brisa do veículo em um
acidente na BA-290, no município de Medeiros Neto, localizado no extremo sul da
Bahia. Apenas as patas traseiras do animal, que morreu com a colisão, ficaram
pelo lado de fora do veículo. O condutor do carro só sofreu escoriações leves.
O motorista, que tem 29 anos, conversou com a imprensa nesta segunda-feira (02
de maio), um dia após o acidente, e falou sobre o susto. Sem querer ter o nome
divulgado, o condutor disse que trafegava a cerca de 100 quilômetros por hora
quando colidiu com o cavalo e afirma ter sobrevivido por um milagre. “Eu tinha
levado um paciente e um acompanhante do Hospital de Medeiros Neto para uma
unidade de saúde em Teixeira de Freitas, e na volta sofri o acidente. Tinham
dois cavalos na písta. Consegui desviar de um, mas não teve como escapar do
outro. Ele entrou pelo lado do passageiro. Felizmente eu tava sozinho no carro,
sem acompanhante. Sou evangélico e acredito que foi um milagre”, destacou.
Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o acidente ocorreu a
cerca de oito quilômetros da entrada da cidade. O motorista teve apenas
ferimentos leves na mão direita, causados pelos estilhaços do vidro dianteiro
do carro. O condutor é funcionário do Hospital de Medeiros
Neto e trabalha
transportando pacientes pela região há mais de sete anos. Ele conta que acidentes
como esse são constantes na BA-290, devido ao grande número de animais que
ficam nas margens da rodovia, mas que essa foi a primeira vez que se envolveu
em uma colisão. “Na hora, eu tomei um grande susto. A pancada do lado do carona
foi muito forte. Só ficou as pernas do cavalo pelo lado de fora. E ainda tive
que jogar o carro no acostamento com o cavalo no para-brisa para que um
caminhão que vinha atrás de mim não batesse na ambulância. Graças a Deus não
aconteceu nada comigo e até continuei trabalhando. Com relação à ambulância,
não teve jeito, foi perda total. Ficou muito danificada e não tem mais o que
fazer”, conta o condutor. Marcio Rocha Oliveira, recepcionista do Hospital de
Medeiros Neto e amigo do motorista, afirma que viu o momento em que o colega
chegou ao hospital após o acidente visivelmente abalado. “Ele estava bastante
assustado e eu nem quis conversar com ele. Deixei para falar com ele hoje. É um
cara super tranquilo, disse que tentou desviar do cavalo, mas que não
conseguiu. Como ele e evangélico e costuma orar bastante, creio que foi coisa
de Deus mesmo”, afirmou.
Emanuel Cordeiro 

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro