Morre bebê com microcefalia no Piauí, o quinto após epidemia

Por - 23/11/2015
Tio do bebê Victor Hugo, que morreu com
microcefalia, Maria de Lourdes Lima Sousa observa o corpo do menino durante o
velório – Efrém Ribeiro
TERESINA (PI) — Um bebê com microcefalia
morreu no domingo, dia 22, em Teresina, capital do Piauí. Desde que a
epidemia começou a ficar evidente no Nordeste, no início de outubro, esta é a
quinta morte de criança que tenha nascido com a anomalia. Três outras foram
registradas no Rio Grande do Norte, e uma, na Paraíba.
O bebê Victor Hugo morreu às 15h deste
domingo na Maternidade Santa Fé, no bairro Marquês, zona Norte de Teresina. O
diagnóstico de microcefalia — malformação que reduz o crânio do recém-nascido —
foi confirmado pela maternidade, e os dados sobre o bebê e a mãe foram
encaminhados para a Secretaria de Saúde do Piauí.
Tia do menino, a técnica de enfermagem Maria
de Lourdes Leite afirmou que a mãe da criança, a estudante de Nutrição Maria
Eliza Lima Sousa, de 23 anos, soube que o filho tinha microcefalia no quinto
mês de gestação, após ultrassom.
— Ela fazia pré-natal, e quando fez uma
ultrassonografia mais detalhada, os médicos perceberam que havia batimentos
cardíacos anormais e indícios de microcefalia. A partir daí, eles passaram a
acompanhar de perto sua gravidez. Um dos médicos autorizou que o parto por
cesariana fosse feito na tarde deste domingo. Ela ainda estava no oitavo mês de
gravidez — contou Maria de Lourdes.
MÃE TERIA TIDO CHICUNGUNHA
Segundo ela, a mãe do bebê teria contraído
chicungunha, doença transmitida pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito da dengue e
do vírus zika. Por enquanto, para o Ministério da Saúde, é o zika o principal
suspeito de ser a causa da epidemia de microcefalias na região. Os sintomas de
chicungunha e zika são muito parecidos, ambos bem mais leves do que os da
dengue.
— Eu estou falando para alertar às mulheres
que tiveram chicungunha, para evitarem a gravidez — ressaltou Maria de Lourdes. 
Victor Hugo seria o primeiro filho de Maria
Eliza Lima Sousa e do estudante Marcondes Santos, de 23 anos.
— A mãe está bem, mas muito abalada. Ela foi
informada pelos médicos sobre a morte do filho — disse Maria de Lourdes.
O corpo do menino foi velado durante a tarde
e o início da noite na Capela da Maternidade Santa Fé. Ele será sepultado nesta
segunda-feira, no cemitério da Vermelha, na zona Sul de Teresina.
A Secretaria de Saúde do Piauí informou que,
no estado, foram confirmados 27 casos de microcefalia nos últimos três meses em
três maternidades da capital.
Os técnicos da Secretaria de Saúde do estado
se reunirão nesta segunda-feira para discutir os procedimentos adotados em
relação aos casos de microcefalia após orientação enviada pelo Ministério da
Saúde, que está apurando se duas mortes de crianças — uma em Pernambuco, e
outra no Rio Grande do Norte — estão relacionadas à microcefalia.
CASOS DE MICROCEFALIA CHEGAM A 399
O Ministério da Saúde divulgou na terça-feira
o primeiro boletim epidemiológico sobre epidemia. Até o momento, foram
notificados 399 casos da doença em recém-nascidos de sete estados da Região
Nordeste.
Na próxima terça-feira, será divulgado o
segundo boletim epidemiológico pelo Ministério da Saúde.
PUBLICIDADE
O maior número de casos foi registrado em
Pernambuco (268), primeiro estado a identificar aumento de microcefalia em sua
região e que conta com o acompanhamento de equipe do Ministério da Saúde desde
o dia 22 de outubro. Em seguida, estão os estados de Sergipe (44), Rio Grande
do Norte (39), Paraíba (21), Piauí (10), Ceará (9) e Bahia (8).
A Fiocruz, que participa das investigações,
notificou na terça-feira que o Laboratório de Flavivírus do Instituto Oswaldo
Cruz concluiu que há presença do genoma do vírus zika em amostras de líquido
amniótico de duas gestantes da Paraíba cujos fetos foram diagnosticados com
microcefalia, por meio de ultrassom.

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, afirmou
que, apesar de ser um achado científico importante para o entendimento da
infecção por zika em humanos, os dados atuais não permitem correlacionar
inequivocamente a infecção pelo zika com a microcefalia, por falta de
literatura científica sobre o assunto.
(Fonte: Oglobo)