NICE YAMAGUCHI ARARIPINA EM FOCO
NICE YAMAGUCHI ARARIPINA EM FOCO


A médica oncologista Nise Yamaguchi prestou depoimento na CPI da COVID, nesta terça-feira (01), e deu uma série de declarações consideradas, por especialistas, desinformativas a respeito das vacinas. Conhecida por ser defensora do uso da cloroquina – apesar de a medicação não ter eficácia comprovada contra o novo coronavírus, Nise Yamaguchi chegou a ser interrompida em dois momentos. 

Um pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE), quando ela falou sobre imunidade de rebanho. E outra pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), que chegou a dizer: “Não acreditem nela. Quem está nos vendo neste momento, não acredite nela. Tem que vacinar. A vacina salva.”

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) perguntou se a médica já teria se vacinado contra a COVID-19. Nise então respondeu que não poderia ser imunizada por ter uma doença autoimune.
“Eu não posso me vacinar, porque tenho uma doença autoimune. Existem pessoas que não podem se vacinar, principalmente aquelas que têm vasculites, como é o meu caso, eu tenho uma síndrome de Raynaud. Outras pessoas que têm doenças maiores, hepáticas ou renais que sejam situações graves”, afirmou.

No entanto, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) desmentiu a médica. Segundo publicação feita no perfil do Instagram da SBR, não há contraindicação para pacientes com doenças autoimunes reumatológicas se vacinarem contra a COVID-19.
“A comissão de doenças endêmicas e infecciosas da SBR esclarece a população que pacientes com doenças reumáticas (DR), incluindo artrite reumatoide, espondiloartrites, artrite psoriásica, lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica (esclerodermia), Síndrome de Sjögren primária, miopatias inflamatórias e vasculites não representam, por si só, qualquer contraindicação para receber qualquer vacina contra a COVID-19″, diz um trecho da publicação.

CONTEÚDO: ESTADO DE MINAS