Médica cubana do Mais Médicos é estuprada em posto de saúde em PE

04/08/2016 17h12

Uma médica cubana do
Programa Mais Médicos foi estuprada dentro de um posto de saúde no município de
Capoeiras, no Agreste de Pernambuco.

Segundo a Polícia Civil do
município, o crime ocorreu na última segunda-feira (1º). Quando um homem armado
com uma faca entrou no posto e anunciou um assalto. No momento do crime só
estavam no local a médica e outra funcionária. Não havia seguranças na unidade.
Ainda segundo a polícia,
os celulares das duas foram roubados. A funcionária foi isolada numa sala, e a
médica violentada no consultório.
Em nota, o Ministério da
Saúde disse “lamentar o ocorrido” e que está providenciando a
transferência da profissional para uma outra cidade até o fim da semana.
Afirmou também que a
médica está recebendo apoio e que foram adotadas as medidas previstas no SUS
para vítimas de violência sexual, com a medicação de emergência contra gravidez
e doenças sexualmente transmissíveis, além de testes para detectar alguma
infecção.
Criado para levar médicos
a regiões onde há carência de atendimentos, o programa tem enfrentado problemas
em algumas cidades, como a substituição de profissionais efetivos por bolsistas
do programa, infraestrutura precária, descumprimento ou falta de controle das
cargas horárias e baixa supervisão.
Além disso, grupo se
dividem diante de possíveis mudanças em critérios do programa. Associações
médicas, por exemplo, são contrárias à prorrogação do contrato com médicos
estrangeiros.
“Não somos contra
médicos que se formaram fora virem trabalhar aqui. Mas, a partir do momento em
que não são avaliados, não temos garantia de que são bons médicos”, diz o
presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino Cardoso.
Outras propostas, como a
mudança nas regras que hoje ofertam a participantes brasileiros bônus de 10% na
nota em provas médicas, têm ganhado apoio. (Fonte: folhapress)

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro