Mais informações sobre caso da funcionária do BB do Recife presa na Bahia que desviou mais de R$ 450 mil em bancos no Nordeste

Por - 16/04/2016
Uma funcionária do Banco
do Brasil foi presa, na última quinta-feira (14), por investigadores do Departamento
de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), acusada de desviar mais de R$ 450 mil de
correntistas da instituição. Rafaela de Azevedo Brito, de 28 anos, e o comparsa
Antônio Josival Sousa Magalhães, de 26 anos, fazem parte de uma quadrilha de
estelionatários, cujos integrantes são procurados pela polícia.
Segundo a delegada Glória
Isabel Santos Ramos, do DCCP, Rafaela é servidora concursada do banco há oito
anos. Ela trabalhava numa agência em Recife, em Pernambuco, mas encontrava-se
afastada de suas funções por 30 dias e respondia a um Processo Administrativo
Disciplinar (PAD), dentro da organização.
Nesse período, o banco,
por meio do seu sistema de segurança, registrou o acesso de Rafaela em contas
correntes onde, posteriormente, foram percebidos desvios de recursos. A
administração, então, decidiu afastá-la para apurar. A investigação conduzida
pelo DCCP revelou que a bancária também acessava contas de clientes utilizando
login e senha de colegas, sem que estes soubessem.
Rafaela visitou diversas
agências na Bahia, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, onde se apresentava
como funcionária do banco e solicitava aos colegas que verificassem seu saldo.
Enquanto o servidor digitava seu login e senha, a falsária copiava os dados e
os utilizava posteriormente para desviar valores, que variavam entre R$ 30 e R$
50 mil, de cada conta.
Antônio usava a mesma
estratégia e se apresentava como funcionário utilizando um crachá falsificado,
fornecido por Rafaela. Os dois vão responder por furto mediante fraude, associação
criminosa e invasão de dispositivo informático com o objetivo de captar
informação sigilosa para desvio de recursos, com base no artigo 154 do Código
Penal.
Rafaela e Antônio seguiram
para o Núcleo de Prisão em Flagrante (NPF), na Avenida ACM. A polícia busca
agora identificar os outros quatro integrantes da quadrilha.
A fraude foi identificada
pelo Banco do Brasil em Salvador, através de procedimentos internos de
segurança, sendo prontamente comunicada às autoridades policiais. O BB
esclarece que não houve prejuízo aos clientes.
Leia
íntegra da nota.

A fraude foi identificada
pelo Banco do Brasil, através de procedimentos internos de segurança, sendo
prontamente comunicada às autoridades policiais. O BB esclarece que não houve
prejuízo a clientes.  (Via: Ascom PC /
Bocão News)