Mais de 100 policiais caçam quadrilha que matou três PMs em Quixadá

Por - 01/07/2016
Cerca de 100 policiais militares, com o apoio
de um helicóptero e dezenas de viaturas, prosseguem nas buscas à quadrilha de
assaltantes de bancos e carros-fortes que, no fim da tarde desta quinta-feira
(30), matou três PMs, baleou outro e sequestrou mais dois numa viatura do Ronda
do Quarteirão. O cerco se concentra entre as regiões do Sertão central e do
Vale do Acarape. Segundo a Perícia Forense, os três militares foram executados
com tiros de fuzil na cabeça. Neste ano, 15 policiais foram mortos no Ceará.
A última informação quanto ao cerco revela que
após os ataques em Quixadá (a 154Km de Fortaleza), onde os militares foram
mortos, baleados e sequestrados, os criminosos seguiram em fuga em direção ao
vizinho Município de Ibaretama e de lá chegaram ao Distrito de Caio prado, já
em Itapiúna, onde roubaram um micro-ônibus e um Fiat Strada vermelho, na
localidade de Juazeiro dos Galdinos.  De
lá, seguiram, finalmente, para a zona rural do Município de Ocara. É nesta área
onde a caçada recomeçou nesta manhã de sexta-feira.
Primeiro tiroteio e
mortes
Era por volta de 17h30 de ontem, quando
policiais militares do 9º BPM (Quixadá) teriam recebido a informação, via
telefone 190, de que bandidos fortemente armados estariam circulando pelo
Distrito de Juatama, a cerca de 18 quilômetros da sede do Município,  em uma caminhoneta modelo Renault Duster,
branca. A informação inicial era de que a quadrilha estaria pronta para o
ataque a um carro-forte.
Rapidamente, foram despachadas para atender à
ocorrência as patrulhas da Força Tática de Apoio (FTA) e  a RP-1442. A primeira seguiu em direção à
Juatama e a segunda teria ficado posicionada na estrada para, no caso de uma
fuga, interceptar os criminosos. E foi o que aconteceu.
Ao se deparar com a equipe da FTA, os
assaltantes abriram fogo. Os três militares que estavam na patrulha foram
atingidos por tiros de fuzil. O sargento Francisco Guanabara Filho e o cabo
Joel morreram ainda no local do confronto. Já o soldado Antônio Filho ainda foi
socorrido ao Hospital Eudásio Barroso, em Quixadá, onde também faleceu.
Na fuga, os bandidos se depararam com a segunda
viatura da PM, onde estavam o sargento Campos e dois jovens PMs, entre eles, a
soldado Michelle.
Segundo tiroteio e
PMs reféns
Houve novo confronto e o sargento Campos
recebeu um tiro de fuzil na perna esquerda. Ele foi deixado na estrada,
enquanto os ladrões renderam e desarmaram os dois soldados, que foram tomados
como reféns e levados pelos assaltantes na própria viatura.

Na fuga em direção a Ocara, os ladrões tomaram
de assalto uma Hilux prata, libertando os dois PMs e abandonando a
RP-1442.  Cerca de meia hora depois, os
dois militares que haviam sido feitos reféns foram localizados por colegas da
patrulha 2015 do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) e  levados de volta a Quixadá. Não estavam
feridos, mas muito abalados psicologicamente, fardas rasgadas e desarmados. 
Números
Com estes casos, subiu para
13 o número de policiais assassinados neste ano no Ceará. O caso mais recente
havia sido no dia 10 de junho, quando um sargento da PM foi o assassinado a
tiros no município de Juazeiro do Norte.(Fonte: Site Miséria)