Justiça autoriza lançamento da ‘biografia gay’ de Lampião

Por - 31/10/2015
Informa o colunista
Ancelmo Gois (“O Globo”) que o ministro Luiz Fux (STF) negou um recurso de
Expedita Ferreira Nunes, única filha viva de Virgulino Ferreira da Silva,
contra a venda do livro “Lampião Mata Sete”, de autoria do juiz aposentado
Pedro de Moraes, no qual ele sustenta a versão de que o “rei cangaço” era
“gay”.
Logo após a publicação,
Expedita Nunes foi à Justiça e conseguiu tirar o livro de circulação. Ela ficou
particularmente incomodada com a versão de que seu pai, além de homossexual,
teria vivido um triângulo amoroso com a mulher, Maria Bonita, e o cangaceiro
Luiz Pedro.
O autor afirma também que
Expedita pode não ser filha de Lampião, pois o “rei do cangaço” teria ficado
estéril após levar um tiro de espingarda na virilha. O autor entrou com recurso
e só em 2014 conseguiu liberar a obra.
Com relação ao recurso de
Expedita, perdeu completamente o objeto depois que o STF, em janeiro deste ano,
decidiu por unanimidade que as biografias não autorizadas podem ser escritas e
vendidas livremente.

Se o biografado ou os seus
familiares se sentirem ofendidos, que vão à Justiça. O voto condutor foi da
ministra Carmem Lúcia.