InícioAraripina em FocoJanot diz que ministro do Turismo foi beneficiado no petrolão

Janot diz que ministro do Turismo foi beneficiado no petrolão

O procurador-geral da
República, Rodrigo Janot, afirmou, em despacho ao Supremo Tribunal Federal
(STF), que o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB), atuou para
receber dinheiro do esquema de corrupção da Petrobras para abastecer a sua
campanha ao governo do Rio Grande do Norte, em 2014, na qual saiu derrotado. A
informação, revelada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira, consta
do pedido de inquérito enviado por Janot ao STF para investigar, além de Alves,
o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o ex-presidente da
OAS.
“Houve, inclusive,
atuação do próprio Henrique Eduardo Alves para que houvesse essa destinação de
recursos, vinculada à contraprestação de serviços que ditos políticos
realizavam em benefício da OAS”, disse Janot, no despacho. “Tais
montantes, por outro lado, adviriam do esquema criminoso montado na Petrobras e
que é objeto do caso Lava Jato”, acrescenta.
A investigação, baseada em
mensagens apreendidas no celular de Pinheiro, aponta que Alves pode ter
recebido dinheiro de propina “disfarçado” de doações oficiais e que
os pedidos teriam partido de Eduardo Cunha. A PGR identificou ao menos oito
solicitações de recursos para Alves, feitos por Cunha a Pinheiro. O ministro
declarou que recebeu 650.000 reais da OAS na prestação de contas da campanha ao
Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo a procuradoria,
Alves teria se comprometido com a OAS de atuar junto ao Tribunal de Contas da
União e ao Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte, onde a empresa tinha
pendências. Leia mais>>>
RELACIONADOS