Grupo “Beatriz Clama Por Justiça” faz adesivaço no Centro de Petrolina

14/04/2016 17h58
Nesta quinta-feira (14) o
grupo “Beatriz Clama Por Justiça” está realizando um adesivaço em veículos que
passam pela Avenida Guararapes, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, em
frente ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, onde a menina Beatriz Angélica
Mota, de 7 anos, foi assassinada. Além de colocar adesivos, eles também
distribuíram flores brancas.
O ato foi organizado pelas
redes sociais. Pela manhã foram distribuídos cerca de 5 mil adesivos e 50
flores. Os motoristas também buzinaram em apoio ao movimento que pede justiça
ao crime. “O apoio da população é o que tem fortalecido a família. No adesivaço
tem muita gente de fora. Mesmo se os adesivos acabarem vamos ficar aqui com os
cartazes”, afirmou a madrinha de Beatriz, Michelle Chaves.
A previsão é que um grupo
de 100 pessoas, incluindo familiares, os pais de Beatriz Mota e integrantes do
grupo, se revezem até às 19h, quando o movimento completa 12 horas na rua.
“Quem se nega a aplicar o adesivo a gente dá a flor que significa o amor. Se
você não ajuda o próximo, está faltando amor então a gente dá amor”, disse
Michelle.
Investigações
De acordo com a madrinha
de Beatriz Mota eles não irão deixar o caso ser esquecido. “A gente não deixa o
caso ficar de lado. Como estamos sempre fazendo as manifestações as autoridades
estão respondendo. A gente cobra e eles respondem”, disse Michelle.

A madrinha da garota disse
ainda que acredita no trabalho da Polícia Civil. “A equipe de fora veio para
entrar no caso. Eles não pararam”, destacou.

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro