O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta quinta-feira (18/2), durante live semanal que a partir de 1º de março zerará os tributos federais no preço do gás de cozinha por tempo indeterminado. Sobre o diesel, as alíquotas de PIS/Cofins serão zeradas por dois meses, anunciou.

“Hoje à tarde, reunido com a equipe econômica, tendo à frente o ministro Paulo Guedes, decisão nossa: a partir de 1º de março agora, não haverá mais qualquer tributo federal no gás de cozinha, ad eternum. Então, não haverá qualquer tributo federal no gás de cozinha, que está em média, hoje em dia, R$ 90, na ponta da linha, lá para o consumidor lá. E o preço na origem está um pouco abaixo de R$ 40. Então, se está R$ 90, os R$ 50 aí é ICMS, imposto estadual, e é também para pagar ali a distribuição e a margem de lucro para quem vende na ponta da linha”, afirmou.

O presidente completou que é necessário encontrar um modo de informar a população sobre o valor de impostos cobrado pelos estados: “Temos agora que achar uma maneira de mostrar à população quanto é o ICMS de cada estado e sobra, então, uma margem de lucro da distribuidora, né, e o valor da distribuição. Para o pessoal saber quem é que, realmente, porventura está abusando aí para vender o gás na ponta da linha”, alegou.

Sobre combustíveis, o mandatário destacou que buscará um modo posteriormente de também zerar a tarifa. A Petrobras anunciou hoje mais uma mudança no preço dos combustíveis nas refinarias. É o quarto reajuste de gasolina e o terceiro de diesel em 2021

“Agora, o que foi tratado agora com Paulo Guedes também. Teve um aumento, no meu entender, aqui, eu vou criticar, um aumento fora da curva da Petrobras. 10% hoje na gasolina e 15% no diesel. É o quarto reajuste do ano. A bronca vem sempre para cima de mim, só que a Petrobras tem autonomia”, apontou.

Por fim, o presidente sinalizou que haverá mudanças na Petrobras nos próximos dias, dando a entender que o presidente da estatal, Roberto Castello Branco poderá ser demitido.

“O que é que foi decidido hoje? A partir de 1º de março também não haverá qualquer imposto federal no diesel por dois meses. Então, por dois meses, não haverá qualquer imposto federal em cima do diesel. Por que por dois meses? Porque nestes dois meses nós vamos estudar uma maneira definitiva de buscar zerar este imposto no diesel. Até para ajudar a contrabalancear este aumento, no meu entender, excessivo da Petrobras. Mas eu não posso interferir nem iria interferir na Petrobras. Se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias. Você tem que mudar alguma coisa, vai acontecer”, completou.

Correio Braziliense / Imagem: Reprodução