O imenso volume de chuvas registrado nesta segunda-feira (15) alagou ruas e a água invadiu casas em Camaragibe, no Grande Recife.Em alguns pontos, as pessoas tinham dificuldades de deixar as residências devido aos alagamentos.

Segundo a Agência Pernambucana de Água e Climas (Apac), apenas na Vila da Fábrica, bairro do município, foram cerca de 85 milímetros registrados nas últimas 24 horas, até 7h desta segunda, o que representa quase 70% dos 122,9 milímetros previstos para o mês de fevereiro.

Na Avenida Belmino Correia, em Alberto Maia, moradores tiveram dificuldades de sair de casa, ficando ilhados logo no começo da manhã. “Está chovendo muito forte desde às 3h”, contou um morador, que não se identificou.

O professor de informática Romero Ferreira saiu de São Lourenço da Mata e seguia em direção ao Recife, onde trabalha, quando encontrou o alagamento no bairro de Alberto Maia.

“A cidade [Camaragibe] estava um transtorno, muita água. O ônibus demorou para conseguir passar pela rua que fica próxima ao Atacadão [supermercado]. Cheguei bem mais tarde na estação do metrô”, contou.

No começo da manhã, vídeos mostraram que motos, ônibus e carros tiveram dificuldades de passar pelo trecho da via perto do Atacadão, devido ao volume da água, que baixou por volta das 8h.

Famílias que tiveram as residências invadidas pela água e lama lamentaram os prejuízos. A TV Globo mostrou que casas e estabelecimentos comerciais realizavam limpeza para retirar a lama.

Alguns moradores de Camaragibe contaram que desistiram de sair ao ver a chuva. Wellington Fernando foi avisado pelo irmão, por telefone, sobre a situação na rua.

“Ele estava indo em direção à estação de metrô e contou que ficou mais de uma hora parado até conseguir descer. Hoje, eu não saio de casa e já avisei o resto da família”, afirmou Fernando.

Com ruas e avenidas da cidade alagadas, o trânsito ficou complicado e congestionamentos foram registrados. No Terminal Integrado do Timbi, por exemplo, passageiros relataram atrasos e demora para que os ônibus chegassem ao local.

Morador da Rua Maria Aparecida de Barros, no bairro de Timbi, o funcionário público Mário Ferreira contou que havia pontos em que a água chegava na altura das coxas.

“A gente mora a 150 metros da prefeitura e aqui vira um rio toda vez que chove. Acordamos às 5h e já estava um barulho forte de água. Quando chegamos na rua, a situação era essa: tudo alagado”, relatou.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um acionamento foi registrado na manhã desta segunda, mas, antes de a equipe chegar ao local, o solicitante dispensou o resgate.

Houve deslizamento de uma barreira nas proximidades da Estrada do Lixão. Informações iniciais da prefeitura indicaram que foi de “pequenas proporções” e ninguém teria sido socorrido. Os moradores da residência atingida teriam ido para a casa de parentes.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou, por meio de nota, que “a Estação Cosme e Damião da Linha Centro do Metrô ficou alagada devido à água da chuva oriunda do terminal integrado”. A estação foi fechada às 5h27 e reaberta por volta das 9h20.

O G1 também entrou em contato com a Prefeitura de Camaragibe para questionar sobre acionamentos da Defesa Civil e possíveis desalojados devido à chuva, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

G1 PE / Imagens: Divulgação