Flávio Bolsonaro rebate Witzel e fala em ‘tsunami’ que está por vir contra o governo do RJ

Após o governador Wilson Witzel dizer, nesta terça-feira (26), que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) deveria estar preso em meio às suspeitas de rachadinha e enriquecimento ilícito, o filho do presidente rebateu os ataques em uma rede social.

O senador disse que, além da Saúde, outras secretarias de Wiztel devem aparecer em investigações futuras e que ouve essas denúncias “nas ruas” ou em “papos de botequim”: ‘Não tenho informação privilegiada’.

“Você traiu todo mundo, Wilson. Agora você vai precisar de tempo para se defender, bicho. Mas isso não é nada perto do tsunami que está chegando perto de você.”

“Quando você diz que eu já deveria estar preso, preso por quê? Eu não fiz nada de errado. Estou sendo investigado há mais de dois anos e não tem denúncia contra mim porque não tem como me denunciar. Agora, no seu caso não.”

Witzel atribuiu a realização da Operação Placebo, na qual foi alvo de busca e apreensão, à suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. O Planalto informou que não vai se manifestar.

Flávio também rebateu esse ponto, afirmando que a investigação começou em âmbito estadual e que a PF “só cumpriu a decisão do Superior Tribunal de Justiça”. >>> Leia mais aqui