A iminência de afastamento do senador Chico Rodrigues, investigado pela Polícia Federal por suposto envolvimento em desvios de verbas parlamentares destinadas ao combate à covid-19, abre possibilidade de que o filho do próprio parlamentar assuma os trabalhos do pai. O administrador Pedro Arthur Rodrigues, 41 anos, também filiado ao DEM, é o primeiro suplente à cadeira.

Sem experiência na vida política, Pedro Arthur pediu o registro da candidatura ao suplente do pai em 2018. Ele não concorreu a nenhuma eleição anterior. Para que Pedro Arthur assuma a vaga, será necessário que Chico Rodrigues fique afastado por mais de 120 dias, de acordo com as regras do regimento interno do Senado.

Por enquanto, a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) é de afastamento por 90 dias. Durante esse período, a cadeira ficaria “vaga”, até nova decisão. A Polícia Federal chegou a pedir a prisão preventiva do senador, após encontrar aproximadamente R$ 15 mil escondidos entre as nádegas do investigado, mas o pedido foi negado.

As buscas e apreensões ocorreram nesta quarta-feira (14/10) no âmbito da operação Desvid19, que investiga um esquema de desvio de verbas públicas destinadas ao combate à pandemia da covid-19 em Roraima. Segundo as apurações da PF, foram desviados cerca de R$ 20 milhões em emendas parlamentares. Apesar de terem sido feitas buscas na casa de Pedro Arthur, não há, por hora, indícios de envolvimento do filho no suposto esquema de desvio.

Correio Braziliense / Imagem: Reprodução