Vicente Jacó Mendes, de 63
anos, atualmente morando em um sitio localizado no município de Araripina, disse que ficou sabendo da notícia da situação de penúria
que está passando o irmão com certa estranheza. Vicente disse que as
informações de miséria não condizem com a realidade vivida pelo o irmão. “O mesmo
vive com o apoio financeiro de duas aposentadorias”, disse. “Acho que está
existindo um pouco de oportunismo da parte do meu irmão, que a bem da verdade,
não é filho legítimo do casal, embora isso nunca tivesse sido levado em
consideração”, pontuou o filho do vaqueiro Raimundo Jacó, homenageado
anualmente com as festividades do sitio lajes em Serrita, no Sertão de
Pernambuco. Para confirmar a veracidade do que falara, Vicente Jacó convidou o
Sr. Luiz Roberto, de 87 anos e amigo do vaqueiro assassinado.
Seu Luiz disse que esteve
ao lado de Raimundo Jacó durante muitos anos, campeando gado no mato, e que no
dia do seu assassinato não estava com ele, e ficou sabendo depois do ocorrido
e, ficou muito triste junto com todos os colegas da época. Luiz Roberto e
Vicente Jacó participam das homenagens a Raimundo Jacó desde a primeira missa
realizada há 45 anos, por iniciativa de Luiz Gonzaga e do Padre João Câncio. Na
próxima missa, que acontece neste final de semana, o filho de Raimundo Jacó,
fez questão de vir acompanhado do seu filho, o jovem Damião Jacó Bezerra
Mendes. O Povo Com a Notícia.

Reportagem Blog Nilson Macedo