InícioAraripina em FocoFilha é presa suspeita de agredir até a morte a mãe idosa

Filha é presa suspeita de agredir até a morte a mãe idosa


Do G1 do Piauí l AF Notícias l Foto: PM

A Polícia Civil do Piauí
prendeu na manhã de quarta-feira (13), uma mulher suspeita de agredir até a
morte a própria mãe. Francisca da Silva Carvalho, 69 anos, faleceu em dezembro
do ano passado em Cocal, Norte do estado. Na época, a polícia determinou que o
velório fosse interrompido após receber a denúncia de que a mulher havia
morrido em decorrência das agressões praticadas pela filha e pediu uma perícia
no corpo.
Conforme a delegada, o
laudo do Instituto Médico Legal (IML) que saiu quase um mês após a morte,
apontou várias lesões, principalmente no rosto, pescoço e colo da idosa. Mas
que foi um exame complementar, cujo resultado saiu no dia 15 de junho e ainda
depoimentos de vizinhos, os fatores determinantes para pedir a prisão da filha
da idosa.
“Esses exames mostraram
que ela foi agredida em dias diferentes e de forma constante. Havia várias
lesões pelo corpo da senhora. Os depoimentos de vizinhos e familiares são
chocantes e ajudaram a comprovar essas agressões. Uma vizinha relatou que na
madrugada do dia em que a dona Francisca morreu, ela chegou a ver a idosa no
chão e a filha pisando em sua cabeça. Essa vizinha tentou intervir, mas a
agressora deixou sequer que ela levantasse a senhora do chão”, relatou a
delegada Daniella Dinali, responsável pelas investigações.
Ainda conforme a delegada,
todos as testemunhas foram unânimes ao dizer que por várias vezes ouviram a
idosa gritar por socorro e a filha falar que desejava a morte da mãe. “A
própria filha quando prestou depoimento confessou que batia na mãe porque
perdia a paciência por ela gritar à noite quando sentia dores e falou ainda que
desejava a morte da mãe porque ‘ela a aperreava muito’”, contou.
Para a delegada, o crime
configura-se como feminicídio por conta da questão de gênero e ainda a situação
de vulnerabilidade da vítima, uma idosa e acamada. A senhora morava sozinha com
a filha que também era a sua cuidadora. “Foi um homicídio qualificado, por
motivo torpe, no qual foram utilizados meios cruéis e de tortura e sem a vítima
ter condições de defesa”, completou Daniella Dinali.
A mulher suspeita pelas
agressões está presa na Delegacia de Polícia Civil de Cocal e deverá ser
transferida ainda na tarde desta quarta-feira para a Penitenciária Mista Juiz
Fontes Ibiapina em Parnaíba, Litoral do estado.

RELACIONADOS