sexta-feira, outubro 22, 2021
InícioAraripina em FocoFernando Bezerra Coelho repudia ligação do seu nome com Operação Turbulên

Fernando Bezerra Coelho repudia ligação do seu nome com Operação Turbulên

Apontado pela Polícia
Federal (PF) como operador de recursos para as campanhas do PSB de 2010 a 2014,
que teria envolvido transações suspeitos, o senador Fernando Bezerra Coelho
soltou nota oficial repudiando o envolvimento do seu nome.
Na manhã desta terça-feira
(21), a PF deflagrou no Recife a Operação Turbulência. A investigação teve
início a partir de análises de movimentações financeiras de empresas envolvidas
na aquisição da aeronave que transportava o ex-governador Eduardo Campos em seu
acidente fatal durante a campanha presidencial de 2014.
“Fernando Bezerra afirma
que não foi coordenador das campanhas de Eduardo Campos, à Presidência da
República, nem em 2010 nem em 2014; não tendo, portanto, exercido qualquer
função financeira nas campanhas de Campos”, diz trecho da nota.
De acordo com a PF,
empresas de fachada, em nome de “laranjas”, realizavam transações entre si e
com outras empresas fantasmas, incluindo algumas investigadas na Operação Lava
Jato. O esquema teria movimentado mais de R$ 600 milhões desde 2010.
ÍNTEGRA DA NOTA DE FBC –
“Fernando Bezerra Coelho repudia a incorreta vinculação do nome dele à
“Operação Turbulência”, uma vez que o senador não é sequer mencionado nos autos
desta investigação. Além disso, Fernando Bezerra afirma que não foi coordenador
das campanhas de Eduardo Campos, à Presidência da República, nem em 2010 nem em
2014; não tendo, portanto, exercido qualquer função financeira nas campanhas de
Campos.
Quanto à investigação que
tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) – ainda não concluída –, Fernando
Bezerra Coelho ratifica que sempre esteve à disposição para colaborar com os
ritos processuais e fornecer todas as informações que lhe foram e, porventura,
venham a ser demandadas. O senador reitera, ainda, que mantém a confiança no
trabalho das autoridades que conduzem o processo investigatório no STF,
acreditando no pleno esclarecimento dos fatos.”

PRISÕES – Os empresários
Apolo Santana Vieira (dono da empresa Bandeirantes Companhia Pneus), Arthur
Roberto Lapa Rosal, João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho (filho do ex-deputado
socialista Luiz Piauhylino) e Eduardo Freire Bezerra Leite e foram alvos de
mandados de prisão preventiva. (Fonte: JC  Online )
RELACIONADOS