O site EL PAÍS publicou reportagem na tarde de sexta-feira 02 de abril onde revela que a falta de alimentação básica foi o motivo de seis presos da Cadeia Pública de Altos terem morrido em maio do ano passado. 

Segundo a reportagem, houve um surto de beribéri, doença causada pela falta de vitamina B1 e relacionada a uma alimentação inadequada e pobre de nutrientes.

A conclusão consta, segundo o site, em um relatório técnico do Ministério da Saúde. De acordo com o documento, 199 dos 656 presos da Cadeia de Altos foram atendidos no serviço de saúde com sintomas e 56 foram internados.

As seis mortes registradas geraram revolta e resultaram em protestos dos familiares nas ruas de Teresina. O MP-PI abriu inquérito para investigar o adoecimento dos presos.

Na manhã deste domingo (03), a Secretaria de Justiça (Sejus), encaminhou nota de esclarecimento onde diz que, desde o início do ocorrido, prestou todos os atendimentos e assistência aos internos que sentiram os sintomas.

“Em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, uma enfermaria foi instalada na própria unidade prisional, a fim de dar um maior suporte aos detentos, evitando o translado de internos aos hospitais da rede pública de saúde. Além disso, foram feitas limpezas na tubulação e reservatórios de água do presídio, com o intuito de cessar a hipótese de intoxicação pela água. Enquanto os reservatórios de água passavam por limpeza, os detentos receberam água mineral”, disse em nota.

A Sejus disse ainda que houve um esforço vitamínico e alimentar através de variações de cardápio, conforme instruções da equipe do Ministério da Saúde que esteve no local.

“A Sejus reitera, ainda que, tem mantida a atenção redobrada na saúde de todo o sistema prisional, diante da pandemia por Covid-19”, finaliza.

180 Graus