PAZUELLO ARARIPINA EM FOCO
PAZUELLO ARARIPINA EM FOCO


O Exército decidiu abrir nesta 2ª feira (24) um processo administrativo contra o ex-ministro da Saúde e general da ativa Eduardo Pazuello pela participação em ato favorável ao governo federal no domingo (23). Houve aglomeração no evento, que incluiu um passeio de moto com a presença do presidente Jair Bolsonaro. Os dois não utilizaram máscara.

Mais cedo, o comandante da Força se reuniu com o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, para discutir a situação de Pazuello. Na semana passada, o próprio Braga Netto, que é general da reserva, participou de manifestação pró-Bolsonaro em Brasília, o que também gerou críticas.

Após ser notificado, Pazuello vai se manifestar por escrito e, em seguida, será ouvido pessoalmente pelo comandante do Exército. O ex-ministro poderia ser ouvido por outro superior, mas pela repercussão do fato general Paulo Sérgio assumiu a responsabilidade. Caberá a ele decidir se Pazuello será ou não punido.

No Estatuto dos Militares e no Regulamento Disciplinar do Exército, há vedações expressas sobre militares participarem de manifestações políticas coletivas. O artigo 45 do Estatuto fala, por exemplo, que são “proibidas quaisquer manifestações coletivas, tanto sobre atos de superiores quanto as de caráter reivindicatório ou político”.

fonte: Jornal Extra e Poder360