Exclusivo: Paulo Cesar Morato levava vida simples em Tamandaré até um ano atrás

Por - 25/06/2016
O “testa de ferro”
da organização criminosa suspeita de lavar dinheiro para financiar as campanhas
do ex-governador Eduardo Campos, em 2010 e 2014, pode ter sido um laranja.
Longe do luxo, o empresário Paulo César de Barros Morato levava uma vida
aparentemente simples, até um ano antes de sua morte, constatada na noite da
última quarta-feira (22), segundo descobriu o Portal FolhaPE. No município de
Tamandaré, a 100 km do Recife, Morato vivia como qualquer cidadão comum.
Benquisto pelos vizinhos, ele tinha um ponto de venda e conserto de celulares
anexado à casa onde morava de aluguel, na rua José Bezerra Sobrinho, onde se
concentra o comércio em Tamandaré. Atualmente, um outro inquilino ocupa o lugar
e o estabelecimento, em anexo, comercializa milk shakes e açaís.

A Folha de Pernambuco deu um
giro no local na sexta-feira (24). A situação recém divulgada pelos jornais –
com a morte de Morato e seu envolvimento na Operação Turbulência – gera receio
entre os comerciantes e moradores do entorno, que preferiram não se
identificar. Ninguém quis mostrar o rosto ou divulgar o nome para defender
Morato. Mas, elogios não foram poupados. “Seu Paulo”, como era
conhecido, foi descrito como uma pessoa muito querida. Calma, educada,
comunicativa, simples e prestativa. As boas referências sobre seu caráter e seu
comportamento eram unânimes por toda a rua onde morava. “Falava com
qualquer pessoa, de mendigo a advogado. Seu Paulo era maravilhoso e gostava de
ajudar. Não tinha tempo ruim com ele”, disse a proprietária de um
estabelecimento do entorno. Leia mais >>>