Um estudo da Universidade Federal de Pernambuco concluiu que grande parte dos mananciais de água subterrânea no solo de Araripina estão contaminadas por substâncias como cloretos e sulfatos, matéria química originada do descarte inadequado de produtos derivados do gesso. Ainda segundo a pesquisa universitária, 38% das internações hospitalares por problemas respiratórios é consequência do pó emitido pelas fábricas de gesso.

Segundo os pesquisadores, entre as várias infrações encontradas no município está o descarte de placas de gesso em terrenos próximo aos mananciais e em meio a áreas de vegetação. Quando começa o período chuvoso na cidade, há uma baixa significativa da poeira oriunda do processamento da gipsita, porém, ela não desaparece do meio ambiente, ao contrário, essas substâncias se infiltram no solo e podem contaminar os aquíferos no subsolo, de acordo com os universitários, esses cloreto e sulfato pode chegar até 30 metros de profundidade abaixo do solo.

De acordo com a pesquisa, foram coletadas amostras da água em alguns mananciais do município, na qual foi constatado haver contaminação sob a superfície como também em baixo dela. Isso significa que tanto tanto água em cima da superfície como em baixo dela foram contaminadas em sulfato (>250 mg/L até 1930 mg/L) e em cloretos (>250 mg/L até 5390 mg/L). Materiais químicos produzidos no ambiente doméstico também entram nesse eixo de contaminação, sendo o detergente e óleos os mais perigosos para o meio ambiente e que são jogados nos ralos de pias e banheiros das casas.

Alerta

Essa pesquisa serve de alerta para a população da cidade, principalmente os comunitários que fazem uso de água proveniente de poços artesianos e barreiros. As vezes nem sempre água que nos é apresentada é apropriada para o consumo. Se você mora em uma propriedade próximo de fábricas de gesso, fiscalize e denuncie o descarte inadequado de restos desse material no meio ambiente. Uma vez que este material seja jogado, com a ação das chuvas ele vai se infiltrar e contaminar a água. Isso traz um prejuízo enorme para a população.

Redação AF News / Imagem: Reprodução