Ao menos cinco pessoas morreram e cerca de 18 ficaram feridas após o vulcão da Ilha Branca, também conhecido como Whakaari, entrar em erupção na Nova Zelândia, nesta segunda-feira (09/12/2019). A área atingida é uma região turística na costa Leste do país. A fumaça da erupção atingiu 12 mil metros no ar.

O vice-comissário-chefe da Operação Nacional John Tims afirmou em entrevista coletiva que várias pessoas estão desaparecidas, incluindo neozelandeses e turistas.

Em pronunciamento, a premiê neozelandesa Jacinda Ardern declarou que 23 pessoas foram resgatadas do navio de cruzeiros Ovation of the Seas, que passava pela região. O navio atracou no porto de Tauranga, cidade mais próxima do local do incidente.

Uma grande operação de busca e salvamento foi lançada por volta das 14h (horário local), com apoio da polícia, Corpo de Bombeiros, Ministério da Defesa Civil e o Gerenciamento de Emergências da Nova Zelândia.

A polícia ainda não pode confirmar as nacionalidades e também não informou se ainda há pessoas vivas na ilha, já que ainda não conseguiram comunicação.

As cinco pessoas mortas são pessoas que foram retiradas da ilha hoje. “Continuamos a trabalhar o mais rápido possível para confirmar o número exato de envolvidos, incluindo aqueles que permanecem na ilha”, afirmou a corporação em nota, ao ressaltar que os feridos, a maioria com queimaduras, foram levados aos hospitais Whakatane e Middlemore.

Por conta do atual ambiente de risco, os serviços de emergência continuam impossibilitados de acessar a ilha. A pedido da Polícia da Nova Zelândia, a Cruz Vermelha do país ativou o site Family Links para pessoas que desejam se registrar como seguras ou pesquisar sobre sobreviventes.

As equipes de socorro delimitaram uma zona de exclusão aérea a 5 milhas náuticas (cerca de 9km) em torno da Ilha Branca.

A Agência Nacional de Emergência emitiu um alerta para possíveis novas erupções e atividade sísmica moderada.

Momentos de pânico

Vários turistas foram vistos entrando na cratera momentos antes da erupção. Uma webcam na borda da cratera, operada pela agência científica neozelandesa GeoNet, mostrou grupos de pessoas caminhando na borda e dentro da cratera, a partir da qual um vapor branco flui constantemente.

Nas redes sociais, vários turistas registraram os momentos de pânico após o vulcão entrar em erupção. Veja:

Vídeo incorporado