Uma empresária do município de Exu no Sertão do Araripe Pernambucano foi vítima de crime virtual praticado para denegrir sua imagem através da divulgação de um vídeo íntimo. Segundo o perfil no Instagram Exu de Fato, a moça já sabe quem foi o autor do ato criminoso.

Nas redes sociais a mulher identificada pelo nome Mayara esclareceu que se tratava de uma montagem, na qual associava a imagem dela a outra mulher que aparece em cenas de sexo. “Uma moça, que tem como apelido Aninha, compartilhou com um amigo da família um vídeo via WhatsApp, no qual ela afirma que sou eu em prática íntima. Tendo em mãos as capturas de tela dessas conversas, fui à delegacia tomar as medidas cabíveis”.

Mayara levantou, também, questões sobre a gravidade de uma notícia falsa, que, ao ser espalhada, pode vir à prejudicar severamente a imagem de uma pessoa. E ainda aconselhou mulheres que foram ou venham a ser vítimas de um crime igual ou semelhante ao que ela sofreu, que denunciem (sendo boato ou não).
É importante frisar que não é necessário encontrar de onde, ou por quem, se originou o ato. Ao compartilhar, o sujeito já se enquadra como autor do crime e também poderá responder judicialmente.
Diga não ao Crime Cibernético. Denuncie!

Exu de Fato / Imagem: Divulgação