Mais uma das grandes opções
a uma candidatura a prefeito de Bodocó, o empresário e liderança política,
Ronaldo Coutinho não despertou e nem se encorajou para uma possibilidade de
trabalhar o seu nome para outra via política na cidade, e acaba se unindo ao
ex-prefeito Brivaldo Alves.
Ronaldo foi um dos
empresários empenhado que deu a vitória a Danilo Rodrigues (PSB), mas se
decepcionou com a administração desastrosa do prefeito que não reconhece o
apoio do povo bodocoense e tão pouco do comércio e empresariado que o ajudou a
eleger prefeito de Bodocó.
Bodocó, uma cidade de 35 mil
habitantes é alvejada de pessoas com capacidade e liderança capazes de sair da
mesmice política de “modebas e quizilas”, no entanto, o cenário de uma crise
econômica desencoraja; até mesmo porque o trabalho de base para uma terceira
via requer muito desprendimento, conscientização e construção, por isso, as
lideranças para, 2016, estão preferindo optar entre os dois grupos existentes.
No entanto, o projeto de terceira via na cidade de Bodocó continua sendo
costurado e em breve deverá resultar num grupo que demonstre coragem e atitude
para enfrentar o desafio.
Ouricuri que fica a 20km de
Bodocó, uma cidade com pouco mais de 64 mil habitantes está lançando desde já
cinco candidatos a prefeito para 2016. A descentralização do poder gera mais
opções aos munícipes que pode ter o privilégio de escolher a melhor proposta
para o período letivo 2017/2020.
Ronaldo, todos sabem, faz
política por prazer. Um empresário bem conceituado não consegue ficar de fora
da vida eletrizante da política, e mesmo ainda não tendo despertado para um
novo projeto, inclusive levando o seu nome ou do seu filho Ronielson Coutinho
para uma possível candidatura em 2016, preferiu se aliar ao grupo de Brivaldo
Alves.
O cenário político em Bodocó
começa a pegar a sua forma e cada liderança, intelectuais e formadores de
opinião começam  a traçar suas
estratégias para 2016.
Por Lusimar Lima

Fonte: Sertão Nordeste