Em Araripina, servidores decidem por greve a partir do dia 27 de julho

21/07/2016 16h58
Foto/Damião Sousa
Em assembleia realizada na
manhã desta quinta-feira (21), os servidores da educação de Araripina (PE), decidiram por greve por tempo indeterminado a partir do
dia 27 de julho. O motivo, segundo a categoria, é o atraso constante no salário
dos servidores e aposentados, não pagamento do reajuste do piso salarial dos
professores retroativo aos meses de janeiro e fevereiro deste ano, além do não
cumprimento do calendário escolar.
“Tivemos uma greve no
início do ano e, desde então, estamos exigindo o calendário, que não está sendo
cumprido. Também há irregularidade de pagamento, pois o Fundeb 40 e os
aposentados foram pagos apenas ontem com vários dias de atraso. Mas hoje na
assembleia ficamos sabendo que ainda tem aposentado sem receber”, disse o
diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araripina (SIMA),
César Araújo.
A assembleia reuniu cerca
de 200 servidores na Câmara Municipal de Araripina, segundo o sindicato. As
aulas permanecem em sua normalidade até o dia 26 deste mês, de acordo com o
sindicato. Já está marcada para o dia que iniciará a greve outra assembleia que
deverá avaliar a mobilização. “A outra assembleia tem o intuito de esperar uma
proposta da prefeitura. Esperamos que ela se sensibilize para uma proposta
decente”, destacou César. A categoria fez uma paralisação de advertência nos
dias 19 e 20 de julho.

A Prefeitura de Araripina
informou, por meio de nota, que, com a crise financeira, os recursos federais diminuíram
o que comprometeu várias obrigações do município. Em relação aos professores,
que estão com os salários em dia, foram feitas propostas para sanar o repasse
do retroativo dos meses de janeiro e fevereiro. Até o momento, não foi dada
nenhuma resposta sobre o pagamento dos servidores aposentados. (Do G1 Petrolina)

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro